Pesquisar este blog

quinta-feira, 8 de março de 2012

GEOGRAFIA BÍBLICA

INTRODUÇÃO - 2ª AULA

Este texto é mais um manual de consulta do que o material de estudo; aproxima-se mais de uma literatura para pesquisa, devido ao fato de que geografia é informação a ser decorada, mas estes estudos foram feitos com a intenção de dar ao aluno uma perfeita noção da importância desta ciência, bem como de seu uso diário nos estudos bíblicos, na preparação de sermões, estudos para artigos em revistas especializadas, na escrituras de livros (caso você seja um escritor) e na construção de material de estudos para alunos de Escola Bíblica Dominical.

Sua importância é extrema para quem queira entender o texto bíblico, pois quase todos os textos bíblicos citam cidades, regiões, províncias, planícies, montanhas, rios, vales, estradas, territórios, impérios, viagens, densidade demográfica ou pluviométrica, guerras, climas, etc.

Ex. de Pesquisa...(Província)....ACAIA


Nos tempos do NT, era uma província romana. No tempo de Homero, a Acaia designava toda a Grécia, que era habitada pelos acaianos; depois, durante algum tempo, passou a designar apenas a costa sul do Golfo de Corínto. Quando a Grécia caiu sob domínio romano no século II aC, o território foi adstrito (146 aC) à província da Macedónia mas em 27 aC organizou-se como província autónoma. No ano 15 dC, uniu-se novamente à vizinha Macedónia, ficando sob a alçada de um administrador imperial, até que Cláudio, em 44 dC, devolveu a província ao Senado. Foi, depois, administrada separadamente por um procônsul, que tinha a sua sede em Corínto (cf. At 18:12). Os seus limites iam até Tessalónica. Paulo esteve em Acaia, pela primeira vez, por volta de 51 dC, durante a sua 2ª viagem missionária e visitou as cidades de Atenas, Corínto e Cencréia (At 17:16 a 18:18). Tornou a visitar a província no inverno de 57/58 dC durante a sua 3ª viagem missionária (At 19:21). Apolo também pregou o Evangelho nesta província (At 18:24, 27; cf. 1Co 3:3-7; 1Co 16:12).

Por isto vamos aqui fazer um estudo geográfico de todo o território envolvido pela história bíblica chegando aos primeiros séculos da igreja. Algumas ciências caminham juntas com a geografia, não há como separá-las, e a presença da arqueologia, por exemplo, será uma constante, pois ela confirma com suas escavações os fatos declarados na bíblia. Ela comprova muitos fatos bíblicos para os muitos “Tomés”, que só crêem vendo e também para auxiliar os trabalhos de exegese. Ela tem comprovado ao mundo cada vez mais a veracidade dos relatos bíblicos.

A história é a irmã gêmea da geografia, o estudo de uma, sempre corre em paralelo com o apoio da outra, pois muitos aspectos geográficos foram modificados ao longo do tempo tanto pela humanidade quanto por *fatores naturais; é praticamente impossível não nos questionarmos sobre os locais onde aconteceram os fatos históricos, assim como as datas e personagens relativos a fatos geográficos.

Esta disciplina engloba em si então o estudo superficial de algumas outras ciências relativas à geografia, tais como política, meteorologia, astronomia, geologia, etc.

A própria bíblia dá muita importância à história, e a maioria dos fatos bíblicos possuem âncoras fincadas na história; a maioria dos livros dos profetas citam a época em que foram escritos e tais referências ou ligações históricas procuram comprovar a veracidade dos relatos e, juntamente no texto, pode-se notar centenas de citações geográficas e pode-se facilmente através da narrativa bíblica fazer um paralelo entre as histórias bíblicas e seculares; dentre os 66 livros bíblicos 12 são puramente históricos e muitos outros trazem muitos relatos históricos.

Passagens tais como I Reis 15.22 onde se lê "então, o rei Asa fez apregoar por toda Judá que todos, sem exceção, trouxessem as pedras de Ramá (cidade bíblica onde viveu o profeta Samuel – I Sm 25; ver Davi...I Sm 19:18) e a sua madeira com o que Baasa edificara; e com elas edificou o rei Asa a 2Geba de Benjamim (Js 18:11-28) e a Mizpá”. São difíceis de serem compreendidas, pois sempre temos de pesquisar em enciclopédias bíblicas tais referências. Outras passagens tais como Neemias 1.1, onde se lê "As palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu o mês de Quisleu, no ano vigésimo, estando eu em 3Susã, a Fortaleza"- (Ne 1:1), já possuem referências históricas e geográficas. Observação: Por vezes o estudo da geografia confunde-se com um estudo histórico.

GABA OU GEBA

Heb. Geba‘, “monte”.

Uma cidade no território de Benjamim (Js 18:24; 1Cr 8:6), que foi atribuída aos sacerdotes (Js 21:17). Não deve ser confundida com a vizinha Gibeá, a capital-fortaleza de Saúl. Em Is 10:29, as duas cidades são mencionadas conjuntamente. Geba é a cidade mais a norte do reino de Judá (2Rs 23:8; Zc 14:10). É mencionada nos registos de Thutmose III e Ramsés II. O local é identificado com a actual Jeba‘, 3 km a sudeste de Micamás e cerca de 11 km a norte-nordeste de Jerusalém.

1) O que é a geografia?

A palavra geografia, etimologicamente, significa "descrever a terra", Geo + Grafia, esta ciência até o século 19 limitava-se a descrever a terra, mas após esta época passou também a explicar os fatos, no entanto existem várias definições de geografia. Para o alemão Alfred Hettner a geografia é o ramo de estudos da diferenciação regional da superfície da terra e das causas dessa diferenciação. Já para Richard Hartshorne o objetivo da geografia é "proporcionar a descrição e a interpretação de maneira precisa, ordenada e racional do caráter variável da superfície da terra".

A Enciclopédia Mirador Internacional observa: "Tomar como tal apenas a face exterior da camada sólida e líquida, iluminada pela luz do sol, equivale a suprimir no campo de interesse geográfico as minas e a atmosfera. Nesta ocorrem os fenômenos meteorológicos e se configuram os tipos climáticos de profunda influência na vida de todos os seres e, particularmente na vida humana". Para o Dicionário Aurélio a descrição de geografia é: "Ciência que tem por estudo a descrição da superfície da terra, o estudo dos seus acidentes físicos, climas, solos e vegetações, e das relações entre o meio natural e os grupos"

Sem dúvida que estas descrições são boas, embora as duas últimas pareçam mais abrangentes. A Geografia (do grego geo = terra; grafia = descrição, tratado, estudo) é a Ciência que estuda a Terra na sua forma. Ou seja, estuda os acidentes físicos; o clima; as populações, as divisões políticas etc.

*O tempo tem sido de grande interferência, e às vezes direta, na história da humanidade. Ao lado de mudanças climáticas que têm causado o deslocamento gradual de massas populacionais, como a desertificação do Oriente Médio, e a formação de pontes terrestres durante o período glacial, episódios de tempo severo têm causado a migração, em escala menor, de massas populacionais, e com isso, ficaram registrados permanentemente na história da meteorologia e da população afetada.

Um desses eventos meteorológicos extremos foi o impedimento do avanço das frotas mongóis, lideradas por Kublai Khan, pelos ventos "Kamikaze" em 1281. A intenção de possessão da Flórida pela França veio a um fim em 1565 quando um furacão destruiu a frota naval francesa, permitindo assim que a Espanha conquistasse Fort Caroline. Mais recentemente, o furacão Katrina, em 2005, causou a saída permanente de mais de um milhão de pessoas da costa do golfo dos Estados Unidos, tornando-se a maior diáspora da história americana.

A Pequena Idade do Gelo levou a quebra na colheita e levou a grandes ondas de fome na Europa. Na Finlândia, a fome de 1696-97 matou cerca de um terço da população.

Embora o tempo afete as pessoas de maneiras drásticas, também pode afetar de maneiras mais simples. O corpo humano é afetado negativamente por extremos na temperatura, umidade e vento.

2) Subdivisão da Geografia:

Neste sentido, a Geografia subdivide-se em diversas outras disciplinas: a Geografia Física, a Geografia Humana, a Geografia Econômica, a Geografia Política, a Geografia Histórica, dentre outras.

 A Geografia Física estuda os traços físicos das diversas regiões da terra, o que inclui o estudo do relevo, do clima, da vegetação, da fauna e da flora.

 A Geografia Histórica procura reconstruir os aspectos humanos, econômicos, físicos e políticos de uma dada região do passado. É neste campo que se insere a Geografia do Mundo Bíblico, que se dedica a estudar as diversas regiões que serviram de palco para os acontecimentos narrados nos livros da Bíblia.

 A Geografia Econômica está atenta ao estudo dos recursos econômicos (de origem vegetal, animal e mineral) presentes nas diversas regiões da terra e suas formas de exploração.

 A Geografia Humana preocupa-se em estudar os agrupamentos humanos em suas relações com a Terra: como repartem o espaço; como se adaptam às condições naturais, como se organizam para explorar os recursos provenientes da natureza etc.

 A Geografia Política estuda a influência da geografia na política, a relação entre o poder de um país e sua geografia física e humana, bem como o estudo do reparto político da terra.


A Geografia Bíblica é uma disciplina muito importante, pois auxilia a todos que querem conhecer melhor a História Sagrada e o texto bíblico através de esclarecimentos quanto aos grupos humanos, as características físicas, os recursos econômicos e as transformações políticas das diversas regiões citadas na Bíblia. Além disso, ela nos permite localizar e situar os relatos bíblicos no espaço em que estes ocorreram, auxiliando-nos na reconstrução dos eventos. (poderemos ponderar sobre o direito de terra sobre a Palestina).

CONTINUAÇÃO - 3ª AULA

O MUNDO BÍBLICO:

CLIQUE NO MAPA PARA AMPLIAR
 As regiões em estudo estão bem fixadas, pois os locais em que o povo percorreu são quase sempre definidas biblicamente. Existem algumas dificuldades em localizarmos montanhas, rios e outros; por exemplo: onde fica o Monte Sinai (sendo que o Sinai é uma região de montanhas, e não um monte). Isto parece ser complexo.

Talvez para os escritores dos tempos bíblicos este local fosse bastante conhecido. O mundo antigo, ou mundo bíblico, compreende todos os povos antigos mencionados na Bíblia que habitavam na área banhada pelo Mediterrâneo (Grande Mar) e aquelas que ficam entre este e o Mar Negro, Mar Cáspio (Mar Setentrional), Golfo Pérsico (Mar Meridional) e Mar Vermelho (denominado pelos romanos Mar Eritreu).

O relato bíblico de ambos os Testamentos abrange a área desde a Espanha (o ponto mais ocidental do programa de atividades missionárias do apóstolo Paulo) até a Pérsia, país mais oriental com que esteve relacionado o povo de Israel; e desde o Ponto, província mais setentrional da Ásia Menor, ao sul do Mar Negro, cujo povo estava representado em Jerusalém no dia de Pentecostes (At 2.9), até o extremo sul da Arábia onde, provavelmente, ficava a lendária terra de Sabá.

Podemos dizer que as expressões "o mundo antigo" e o "mundo bíblico" são praticamente sinônimos. Os países que são encontrados hoje nestas regiões são a Portugal, Espanha, França, Itália, Grécia, os diversos países balcânicos, Turquia, Egito, Israel, Jordânia, Líbano, Síria, Iraque, Irã, Arábia Saudita e vários emirados árabes.

Principais áreas do Mundo Bíblico:
Mesopotâmia (Meso = entre; potamos = rio) - região marcada pela presença de dois grandes rios que fertilizavam a região, tornando-a propícia para a agricultura: Tigre e Eufrates. Nesta área, no decorrer da história, surgiram grandes e poderosos impérios: o Sumério, o Acádio, o Babilônico e o Persa.

Península Arábica - extensa península formada por poucas áreas férteis e muitos desertos. Ali se desenvolveu um importante reino, o de Sabá.

Egito - Situa-se no Nordeste do continente Africano. Como a mesopotâmia, tem sua fertilidade garantida pela presença do rio Nilo, que atravessa toda a região. Nesta região se organizou um grande Império, o Egípcio.

Canaã - região estratégica por seu caráter de passagem entre as diversas regiões do Mundo Bíblico. Reunia a Síria e a Palestina. Nesta área se estabeleceram diversos povos, como os filisteus, os fenícios, e os próprios hebreus.

Europa - Cenário de importantes Impérios, como o Macedônico, também conhecido como Império de Alexandre, que reuniu a Grécia, a Macedônia e o Oriente Médio, e o Romano, que a partir da cidade de Roma, situada na atual Itália, unificou as regiões mediterrânicas da Europa Ocidental e Oriental, o Norte da África e o Oriente Médio. Possui uma grande diversidade geográfica e cultural. A Europa faz-se presente na Bíblia, de forma efetiva, nos livros do Novo Testamento.
Prof. Disnei