Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de abril de 2011

A origem de satanás

Abra qualquer número de obras de referência bíblica usadas comumente e olhe para o verbete "Satanás". Você encontrará uma história que pode lhe ser familiar. Eu cito, como típico, o Complete Bible Handbook (Manual Completo da Bíblia), de L. O. Richards:  
"O Antigo Testamento indica que Satanás foi criado por Deus como um anjo governante chamado Lúcifer, com grandes poderes. Mas o orgulho levou Lúcifer a se rebelar contra Deus (Isaías 14:12-14; Ezequiel 28:12-15). Torcido agora pelo pecado, Lúcifer é transformado em Satanás, que quer dizer `inimigo´ ou `adversário´ ...satanás é um poderoso anjo decaído, intensamente hostil à Deus e antagonista do povo de Deus."
Pergunte à maioria das pessoas que crêem na Bíblia de onde veio Satanás e nove entre dez lhe darão uma versão da história citada acima. A idéia de que Satanás é um anjo decaído a quem Deus expulsou do céu e que caiu na terra é tão espalhada que muitas pessoas acreditam que a Bíblia a ensina.
Pode surpreendê-lo descobrir que a Bíblia não ensina tal coisa. É certo que há passagens na Bíblia que falam de seres caindo do céu, mas não são sobre satanás e usam linguagem figurativa. Somente por uma leitura descuidada destes textos pode alguém chegar à história popular relativa à origem de Satanás. Examinemos as passagens bíblicas relevantes, no contexto.

Quem é satanás?  
O nome "satanás" é uma transliteração do hebraico satan, indicando um acusador no sentido legal, um queixoso que tem uma acusação a apresentar. Em Zacarias 3:1 lemos: "Deus me mostrou o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do Anjo do SENHOR, e satanás estava à mão direita dele, para se lhe opor." Numa palavra, Satanás se opõe a nós, trabalha contra nós, ou "nos persegue", na tentativa de nos derrotar espiritual e moralmente. Jesus chamou-o homicida e mentiroso, em João 8:44. Em Apocalipse 12:9, João retrata satanás como um grande dragão, uma representação que ressalta sua terrível tendência. Esse mesmo versículo identifica-o como a serpente (uma referência a Gênesis 3) e como o diabo, que é outro nome bíblico comum para ele. Talvez 1 Pedro 5:8 nos diga o que mais precisamos saber a respeito dele: "O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar".
A ênfase bíblica está no que satanás é em relação à nós (um inimigo). Algumas pessoas, contudo, pensam que certos textos bíblicos vão mais além e nos dizem como satanás veio a se tornar assim. Examinemos estes textos cuidadosamente.

Isaías 14:12-14
Esta passagem diz: "Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." Você notará imediatamente que esta passagem não menciona satanás por nenhum de seus nomes bíblicos comuns. Pode-se extrair deste texto uma teoria da origem de satanás somente assumindo que esta passagem descreve-o, e ignorando o contexto desta passagem na mensagem de Isaías.
Isaías não estava discutindo satanás em Isaías 14, nem a origem de Satanás de modo nenhum faz parte desta mensagem do profeta. Se dissermos que este texto é sobre a origem de satanás, isso simplesmente torna sem sentido o contexto mais amplo. Isaías profetizou durante os reinados dos reis hebreus Uzias, Jotão, Acaz, e Ezequias (Isaías 1:1). Seu ministério abrangeu (aproximadamente) os anos 750 - 686 a.C., uns 65 anos, no máximo. Este foi um tempo quando o povo de Deus tinha se tornado corrompido pela idolatria. Deus enviou Isaías para pregar o arrependimento ao seu povo e para adverti-lo de que um fracasso em voltar-se para a idolatria significaria desastre em escala nacional. Isaías pregou a ambos os reinos de Israel e Judá, cumprindo sua missão dizendo aos povos desses reinos que eles sofreriam terrivelmente se recusassem arrepender-se. Isaías 10:5-6 resume a mensagem ao reino do norte. Há linguagem semelhante (13:3-6) reservada para o reino do sul, o reino contra o qual Deus enviaria os babilônios.
A mensagem de Isaías não era completamente de desânimo e condenação. Os assírios e os babilônios, ele pregou, eram simplesmente instrumentos que Deus usaria para punir o seu povo. Uma vez que Deus tivesse usado essas nações para seus propósitos, Ele se voltaria e aplicaria seu julgamento sobre eles, pela impiedade deles próprios. É uma mensagem da soberania de Deus em ação que causa reverência e temor nos ouvintes. A Babilônia cairia, e depois disso Deus renovaria e reuniria seu povo e lhes daria uma gloriosa e nova existência. Isaías 14 é sobre a queda do império babilônico. Isaías diz aos habitantes do reino sulista de Judá que, depois que eles tivessem sofrido o castigo, viria o dia quando eles poderiam ver a queda de seu opressor e escarnecer de Babilônia do modo como esta tinha escarnecido de Judá. Veja os versículos 4 e seguintes. Isto é sobre Babilônia.
Ora, porque Isaías começaria o capítulo falando sobre a queda de Babilônia, interromperia com uma descrição da origem de satanás, e então recomeçaria a falar sobre a queda de Babilônia? Simplesmente não faz qualquer sentido aqui no contexto ver 14:12-14 como sendo sobre a origem de satanás. O fato é que Isaías estava descrevendo para povo de Judá o que eles estariam dizendo quando zombassem do rei de Babilônia que tinha sido rebaixado e decaído do poder (versículo 4). As mesas virariam, e Isaías está descrevendo a ironia de tudo isso. Até mesmo a leitura corrida da passagem revela que a linguagem aqui é poética e figurativa, e temos que tratá-la de acordo. "Céu" no versículo 12 é linguagem figurativa para o que é alto e exaltado, e Isaías está aqui descrevendo a alta consideração em que o rei de Babilônia era tido. O profeta descreve sua queda do poder figurativamente, como uma queda do céu. Então ele chama o rei de Babilônia, também usando linguagem figurada, a "estrela da manhã". Na sua glória, durante algm tempo, o soberano de Babilônia era como uma estrela brilhante no céu. Contudo, seu reinado e seu poder cairiam, e, mantendo as imagens, Isaías pinta sua extinção como uma estrela cadente.
Parte da incompreensão popular desta passagem resulta do aparecimento da palavra "lúcifer" em algumas versões do versículo 12. A palavra hebraica em questão aqui é helel, que significa "estrela da manhã" e não tem nenhuma ligação com satanás. "lúcifer" é uma velha palavra latina que originalmente significava "portador da luz" e era o nome do planeta Vênus sempre que aparecia no céu matinal. Na época que esta palavra foi usada nas traduções deste versículo, "lúcifer" não significava satanás. Infelizmente, para muitas pessoas, hoje em dia, lúcifer é o nome de satanás (porque Isaías 14:12-14 é aceito como sendo sobre satanás!). Não é porque os tradutores erraram, mas porque pessoas de tempos posteriores, ou esqueceram o que lúcifer significava ou concluíram erradamente que era o nome de Satanás, ou ambos.
Isaías 14:13 recita a jactância arrogante do rei babilônico. Certa vez ele pensou que era o maior do mundo, que tinha poder e autoridade igual à do próprio Deus. Uma das características do retrato profético de Babilônia é seu grande orgulho. Contudo, Deus rebaixaria seu rei ao mais baixo nível imaginável para a mente hebraica: o Sheol, o reino dos mortos (versículo 15). Os versículos 9-11 descrevem como os habitantes do Sheol ficariam surpresos porque alguém que pensava ser tão "alto" estava agora entre eles, num lugar tão "baixo". O ponto é que o rei babilônico foi do extremo da exaltação mundana para a extrema humilhação, e isto era um feito de Deus, o julgamento de Deus. A coisa toda é um quadro, uma imagem, e não uma narrativa histórica literal. A ênfase está no contraste entre as condições do soberano babilônico "antes" e "depois". As pessoas, então, olhariam para o fracasso do rei babilônico e perguntariam: "É este o homem que fazia a terra tremer, que sacudia reinos, que fazia do mundo um deserto, derrubava suas cidades, que não permitia aos seus prisioneiros voltarem para casa?" (versículos 16-17).
Você vê, então, que quando examinamos Isaías 14:12-14 em seu contexto, ele não nos diz nada sobre a origem de Satanás. É uma descrição figurativa da queda do rei de Babilônia.

Ezequiel 28:12-16
Outra suposta passagem sobre a origem de satanás é Ezequiel 28:12-16, onde se lê: "... Assim diz o SENHOR Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado, foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei profanado fora do monte de Deus, e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras."
A referência ao Éden é, para muitos, um indicador seguro de que esta passagem tem que ser sobre a origem de Satanás. Não importa que satanás já fosse o inimigo do homem no Éden! Mas, novamente, é somente aceitando que esta passagem é sobre Satanás (a própria coisa que precisa ser provada) que podemos lê-la desse modo. O contexto aqui argumenta em outra direção.
As palavras de Ezequiel aqui dizem respeito ao rei de Tiro. Os versículos 1 e 11 tornam isto claro. O capítulo 27 é sobre a queda da nação, e o capítulo 28 é especialmente sobre a queda do rei dessa nação. Prestar um pouco de atenção ao contexto esclarece muito! Exatamente como na passagem de Isaías, tomar as palavras do profeta como descritivas de Satanás e sua "queda" é fazer deste capítulo um completo contra-senso.
Aqui a mensagem está em duas partes, mas cada uma delas apresenta a mesma mensagem. Os versículos 1-10 descrevem o rei de Tiro do ponto de vista de Deus. Como o rei de Babilônia, o rei de Tiro era orgulhoso, arrogante e jactancioso. Ele se achava divino, e assim declarava ter uma glória que não lhe pertencia (versículos 2,6,9). O profeta descreve sarcasticamente a grandeza do monarca nos versículos 3-5. Pela sua arrogância, o orgulhoso rei colherá o julgamento de Deus. O julgamento sobre ele é que Deus o abaterá (versículos 7-10). Os versículos 11-19 repetem esta mensagem. O retrato sarcástico que o profeta faz do rei reaparece nos versículos 12-16. O aumento no nível de imagens e figuras na linguagem aumenta o sarcasmo. O rei pensava de si mesmo em termos absolutamente altos, mas para Deus isto era pura loucura. A referência ao Éden no versículo 13 não é literal, mas significa que o rei imaginava-se privilegiado acima de todos os outros. Ele pensava que era especial, como querubim ungido de Deus ou como algém que vivesse na própria montanha de Deus (versículo 14). Ele se retratava nos termos mais gloriosos. Pela sua arrogância, Deus o julgaria severamente (versículos 16-19). Novamente, portanto, quando lemos esta passagem no seu contexto, vemos que não tem nada a ver com a origem de satanás.

Lucas 10:18  
Em Lucas 10:18, Jesus diz: "Eu via satanás caindo do céu como um relâmpago." Aqueles que pensam que Satanás é um anjo rebelde decaído acreditam que este versículo estabelece o assunto convincentemente. Contudo, de novo, precisamos olhar para esta afirmação no seu contexto.
Em Lucas 10:1 e seguintes, Jesus tinha enviado setenta discípulos numa missão de pregação. Realmente, era mais do que apenas uma missão de pregação, pois Jesus também os enviou para curar e expulsar demônios (versículos 9,17). É importante entender exatamente o que estes setenta discípulos cumpriram e o que o próprio Jesus cumpriu em seu ministério. Enquanto Jesus estava nesta terra, ele guerreou contra o reino de satanás. Antes que Jesus pudesse estabelecer seu reino (o reino de Deus), ele tinha que invadir o território do inimigo, vencê-lo e tornar o inimigo (satanás) impotente e fraco. Isto ele fez pregando o evangelho e demonstrando visivelmente seu poder. As curas miraculosas, e especialmente a expulsão de demônios, não eram atos casuais de bondade; elas eram em vez disso assaltos diretos sobre o reino de satanás. Proclamando a "libertação dos cativos" no evangelho (veja Lucas 4:18), Jesus estava proclamando a derrota de Satanás e do pecado. Jesus veio libertar o homem do domínio de Satanás, um domínio resumido em pecado e morte.
É no contexto desta guerra espiritual que temos que entender os milagres associados com o ministério de Jesus e, mais tarde, dos apóstolos. Os milagres associados eram físicos, demonstrações visíveis, exemplos, ilustrações do que Jesus pode fazer pelos homens espiritualmente. Em nenhum lugar isto fica mais claro do que na expulsão de demônios. A possessão por demônios era uma manifestação óbvia do domínio de Satanás sobre pessoas. Que maior domínio sobre uma pessoa Satanás poderia ter do que invadir seu corpo, através de um demônio, e comandar seus atos? Quando Jesus expulsava demônios ele estava libertando pessoas da garra de Satanás, Ele estava destruindo o domínio do Maligno sobre elas. Era uma demonstração especialmente clara, ao nível físico, do poder do evangelho, e era uma ilustração de como Jesus podia libertar os homens do reino de Satanás e pô-los sob o reino de Deus.
O mesmo é verdade também quanto às curas milagrosas de Cristo. Doença e morte eram manifestações do poder de Satanás sobre o homem. Curando os doentes, Jesus estava livrando pessoas do poder de morte exercido por satanás, assim vencendo-o. Observe o que Jesus disse sobre a mulher que tinha uma doença causada por um espírito em Lucas 13:16: "... esta filha de Abraão, a quem satanás trazia presa há dezoito anos" não deveria ela ter sido libertada, no sábado? Jesus estava demonstrando, em suas curas milagrosas, seu poder sobre satanás, seu poder para livrar os homens do domínio de Satanás. A cura era uma ilustração do que Jesus pode fazer por nós espiritualmente, através do seu evangelho. Assim, não é coincidência que Mateus ligue as atividades de pregar o evangelho e a cura dos doentes em Mateus 4:23: "Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda a sorte de doenças e enfermidades entre o povo." Estas duas atividades iam juntas muito naturalmente.
Quando os setenta discípulos retornaram, relataram seu grande sucesso a Jesus. regozijando porque "... os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome!" (Lucas 10:17). Jesus os havia enviado como um exército para invadir o território de satanás e guerrear. Sua campanha tinha tido um tremendo sucesso. Satanás sofreu uma derrota com cada demônio que eles expulsaram. Jesus respondeu com um reconhecimento: "Ele lhes disse: Eu via a Satanás caindo do céu como um relâmpago. Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo, e nada absolutamente vos causará dano". (versículos 18-19). Observe a menção de Jesus a "... sobre todo o poder do inimigo". Satanás estava sendo derrotado no ministério de Jesus. Os setenta discípulos tinham compartilhado esse ministério, e isso culminaria na maior vitória sobre Satanás: a morte e a ressurreição de Cristo que decisivamente derrotaram o poder de Satanás de pecado e morte, respectivamente. Assim, quando Jesus diz: "... eu via a Satanás caindo do céu como um relâmpago", ele estava descrevendo quão grandemente seu ministério estava derrotando o poder de satanás sobre os homens. O poder de Satanás não mais seria incontestável e absoluto. Em sua obra, Cristo estava destruíndo o aparentemente invencível poder do pecado e da morte. Em linguagem que relembra Isaías 14:12-14, Jesus compara o poder anterior de satanás a uma estrela, e essa estrela agora caiu. Apocalipse 9:12 e Mateus 24:29 também usam a imagem de uma estrela cadente para descrever a derrota do poder.
Portanto, novamente, o texto que alegamente prova a origem do diabo não é sobre a origem de satanás de modo nenhum. É somente introduzindo tal idéia no texto que ele pode prestar algum serviço a tal doutrina.

Apocalipse 12:7-9
Talvez a passagem mais popular quando se fala sobre a origem de satanás seja esta, Apocalipse 12:7-9. Ela diz: "Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e os seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos".
Quem quer que alguma vez tenha olhado para o Apocalipse de João sabe que nele abundam estranhos símbolos. É somente pela violência de tratar a linguagem simbólica literalmente, e por ignorar o contexto, que podemos tirar uma história da origem de Satanás deste texto.
Apocalipse 12 é uma descrição simbólica das circunstâncias espirituais que causaram e conduziram à perseguição que os leitores de João enfrentaram. João escreveu o Apocalipse para dar aos seus primeiros leitores uma visão de seu sofrimento, para vê-la num contexto mais amplo. Eles foram apanhados numa tremenda luta entre Deus e satanás. O diabo estava tentando destruir a igreja, usando Roma como seu agente. João, assim, estava dando aos seus leitores uma perspectiva de sua situação que poderia ajudá-los a suportá-la. Como uma descrição simbólica e figurativa não devemos, certamente, lê-la literalmente, nem devemos tratá-la como alguma espécie de narrativa cronológica e histórica do que tinha acontecido.
Apocalipse 12 é admitida como uma passagem difícil, mas os estudantes que vêem o livro do ponto de vista de seu contexto histórico geralmente concordam que ele é sobre a vitória do povo de Deus e a derrota de seu inimigo, Satanás. A primeira parte do capítulo (versículos 1-6) apresenta diante de nós uma história de nascimento de uma criança do sexo masculino que se torna o dominador das nações. Esta imagem representa Cristo (a alusão ao Salmo messiânico, Salmo 2, em Apocalipse 12:5 confirma isto). Contudo, um grande dragão (satanás) imediatamente desafia seu aparecimento. O aparecimento de Jesus desencadeia uma grande guerra espiritual (versículo 7). O domínio de satanás sobre a situação humana tinha, até agora, ficado indisputado. Quando Cristo aparece, o poder de satanás sobre o homem é efetivamente destruído, e Satanás sofre uma derrota esmagadora (versículo 9). A história básica que João apresenta aqui nos versículos 7 e seguintes é que Satanás perdeu sua tentativa de ganhar domínio sobre a humanidade. Ele e suas forças não são adversários para Deus e suas forças. Ele não pode derrotar Deus e seu Filho. Numa grande destruição, Satanás é lançado abaixo, simbolizando sua ruína.
Que satanás tenha sido atirado à terra é, eu penso, significativo. É uma mudança na frente de batalha. Desde que Satanás não pôde derrotar Deus no reino espiritual, ele então volta sua atenção para o reino físico, onde ele espera ser vitorioso. É a mesma batalha pelo domínio espiritual sobre o homem, mas agora é uma batalha espiritual travada na terra. Agora, em vez de tentar destruir o Filho de Deus (tentativa que fracassou), ele tenta destruir o povo de Deus que vive na terra. Satanás inunda a terra com suas mentiras, enganos, tentações, etc., em seu esforço para destruir o povo de Deus, mas isto também fracassa (versículos 11,17).
Apocalipse 12:7-9 é sobre como satanás recebeu uma derrota esmagadora pelo aparecimento e obra de Jesus. João escreveu isto para encorajar seus leitores que estavam sofrendo por causa do ataque de Satanás através de um poder mundial perverso, Roma. Eles poderiam suportar se soubessem que a vitória era deles. Conhecer a origem de Satanás não teria feito nada para encorajá-los a perseverar sob provações severas.

Então, donde veio Satanás?
Se nenhuma das passagens que são comumente citadas como relatos da origem de Satanás são realmente sobre sua origem, então donde ele veio? Bem, não estou certo de que a Bíblia revela a resposta para nós exatamente. Podemos ter uma curiosidade sobre o assunto, mas temos que não permitir que tal curiosidade nos instigue a encontrar respostas que ali não se encontrem.
O melhor que podemos fazer, eu penso, é inferir umas poucas coisas sobre Satanás.
Primeiro: somente Deus (o Altíssimo) é incriado. Tudo o mais e todos no universo são criados. Portanto, satanás é um ser criado. A Bíblia, em nenhum lugar diz que ele é um ser eterno como Deus.
Segundo: a Bíblia atribui onipotência somente a Deus (o Soberano). Portanto, satanás não é um ser onipotente. Ainda que ele tenha grandes poderes, Deus limita seu uso deles (conforme 1 Coríntios 10:13; Jó 1-2).
Terceiro: há seres que foram feitos e que existem acima do nível humano. Podemos chamá-los seres espirituais por falta de um termo melhor. Entre estes seres espirituais estão os anjos, mas estes aparentemente não são os únicos tipos de seres espirituais (conforme Efésios 6:12; Apocalipse 4-5). A respeito desta ordem de seres, conhecemos mais sobre anjos do que quaisquer outros. O quadro que obtemos pela palavra de Deus é que seres espirituais são muito mais interessados em negócios da terra e, às vezes, estão envolvidos neles. Por exemplo, anjos mediaram a Lei de Moisés (Gálatas 3:19), anjos anunciaram a ressurreição de Cristo (Mateus 28:5), e anjos desejaram ver o cumprimento do plano de Deus de salvação (1 Pedro 1:12). Embora isso possa ser uma especulação, também parece que seres espirituais, conquanto sejam criados, não obstante não são ligados em sua existência às limitações de tempo ou idade.
A Bíblia em lugar nenhum identifica satanás como um ser humano. Ele é, obviamente, um dos seres espirituais sobre os quais lemos na Bíblia. Isto não quer dizer que Satanás seja um anjo. De fato, teria sido muito fácil, em qualquer dos contextos e para qualquer dos escritores, dizer que Satanás era um anjo, mas eles nunca o disseram. Ele é, não obstante, um ser espiritual e a Bíblia o descreve como, entre outras coisas, "o príncipe da potestade do ar" (Efésios 2:2). Vemos satanás, pela primeira vez, no Jardim do Éden (Gênesis 3), justo no começo da história humana, e ele tem existido continuamente desde então.
Quarto: seres espirituais, como seres humanos, têm livre arbítrio. Judas descreve o castigo dos anjos rebeldes no versículo 6 de sua epístola, e Pedro fala de anjos pecando em 2 Pedro 2:4. Portanto, satanás se opõe a Deus porque ele decide fazê-lo. Deus certamente não o criou para o mal ou como um ser mau, pois a Bíblia nos diz claramente que não há mal associado com Deus (Tiago 1:13; 1 João 1:5).
Parece que o máximo que poderíamos dizer sobre a origem de satanás é que ele é um ser criado, mas espiritual, que decidiu opor-se a Deus, e que ele recruta outros seres espirituais e seres humanos em seus esforços. Mais do que isto é só especulação.

Conclusão
Num sentido muito significativo, não importa de onde Satanás veio. A ênfase na Bíblia cai no que ele faz. Não é como ele veio a existir que preocupa. É o fato de ele existir que nos preocupa. Ele continua a trabalhar contra nós em sua tentativa de dominar a humanidade, e para nós Jesus deixou a continuação da guerra. "Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes" (Efésios 6:10-12).

Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias- Rio de Janeiro

Igreja passa por tribulação no Japão por causa do desastre nuclear

Duas semanas atrás, o Rev. Akira Sato evacuou o seu rebanho da Primeira Igreja Batista de Fukushima, três milhas de distância da usina nuclear de Fukushima Daiichi. Para a comunidade tight-knit, que abandonou o edifício da Igreja foi um golpe porque os missionários americanos tinham começado a Igreja muito antes de a usina nuclear ser construída nos anos 1960.
"Será que vamos ser capazes de ter um culto em nossa Igreja novamente, ou será que a cidade simplesmente vai ser abandonada?" Sato perguntou em seu diário em 13 de março. Uma vez que a jornada começou, Sato manteve um diário narrando o sofrimento do dia-a-dia de sua Igreja, que ele comparou com o relato bíblico escrito no Livro do êxodo.
"Assim como os israelitas no deserto, tudo o que podemos fazer é seguir a Deus enquanto Ele nos conduz com pilares de fogo e nuvens," escreveu Sato filosoficamente da viagem de seu rebanho.
O diário de pastor online atrai a atenção, pois oferece um raro vislumbre sobre o desastre a partir de uma perspectiva cristã.
Durante dias, Sato lotou um abrigo improvisado com 50 membros de sua congregação de uma Igreja em Yonezawa, cerca de 60 quilômetros de distância. A maioria dos membros da congregação tinham optado por se instalar com amigos e família vivendo em outras partes do país.
No entanto, aqueles que ficaram no abrigo ficaram gratos pela ajuda material, que incluía comida e roupas a partir de doadores anônimos.
"Irmãos e irmãs estão nos trazendo alimentos e roupas de todo o Japão," escreveu Sato. "Eu me sinto como Elias, sustentado por Deus com alimentos transportados por um corvo."
Em 11 de março, um terremoto de 9,0 graus na escala Richter gerou um tsunami que varreu algumas comunidades costeiras ao longo da costa japonesa. De acordo com a Polícia Nacional do Japão Agência, cerca de 12.000 pessoas mortas foram confirmadas, enquanto mais de 15.400 ainda estão desaparecidas.
Em seu diário, Sato registrou histórias miraculosas de sobrevivência entre os membros de sua Igreja. Um membro da congregação do sexo masculino teve um ataque cardíaco logo após o terremoto, mas de alguma forma teve acesso a uma cirurgia que salvou sua vida. Uma mulher de sua Igreja foi atingida pelo tsunami, mas conseguiu nadar e salvar sua vida.
Outra mulher sobreviveu por afastar-se das ondas. Ao longo do caminho, encontrou um estranho, que salvou a vida de ambos, direcionando-a para em torno de rachaduras na estrada danificada. Muitos motoristas não foram tão felizes tendo seus automóveis presos.
Após o terremoto, a usina nuclear de Fukushima Daiichi foi atingida por três explosões, o que danificou os sistemas primário e de back-up usados para resfriar o combustível nuclear em seis reatores e suas respectivas poças de combustível gasto. O resultado de superaquecimento de combustível nuclear liberou material radioativo no ar, solo e água.
As partículas radioativas, que em grandes quantidades causam câncer nos seres humanos, foram registrados no espinafre e leite cru em prefeituras vizinhas, que resultou na proibição de todos os produtos agrícolas provenientes de regiões afetadas.
Em resposta à crise, o governo ordenou que 62 mil pessoas vivendo dentro de um raio de 20-30 km ficassem em casa. Um adicional de 78 mil pessoas, incluindo Sato e sua congregação, fugiram da área mais próxima ao local do desastre.
No sábado, os temores sobre a radiação no ar diminuiu o suficiente para primeiro-ministro japonês Naoto Kan fazer uma visita oficial com trabalhadores da fábrica e soldados à beira da zona de evacuação de 20 quilômetros.
No início da semana, na quinta-feira, uma concentração elevada de radiação foi descoberta em água do mar, perto da usina que provoca os medos. E o pessoal descobriu uma rachadura de 20 cm de largura em uma cova de concreto utilizado para armazenar cabos de alimentação perto do segundo reator, no sábado. No domingo, os trabalhadores vão tentar ligar a abertura com um tipo de polímero após esforços de sábado de tapar as fissuras em concreto. A origem do vazamento ainda não foi encontrado.
Recentemente, os trabalhadores descobriram os corpos de dois funcionários que desapareceram quando o tsunami varreu a usina. Os homens foram encontrados no porão do prédio número quatro das turbinas do reator.
Doença de envenenamento radioativo continua sendo um risco para trabalhadores da usina que tentam conter o vazamento. Muitos Cristãos da Igreja Sato são funcionários da fábrica.
"Dois dias atrás, um irmão que trabalha na fábrica, mas que tem estado conosco, foi chamados de volta ao trabalho," escreveu ele em 19 de março. "Nós oramos junto com sua família e o enviamos. Outros membros da Igreja estão trabalhando lá arriscando suas vidas."
No entanto, Sato escreveu que ficou maravilhado "com a força" da "fé no Senhor” dos membros da Igreja.
"Dos 160 membros que estiveram em contato, tudo que ouvi foram palavras como: “Deus é grande. Eu quero confiar nele enquanto eu andar com Ele a partir de agora. "Fico maravilhado com a força de sua fé no Senhor," escreveu ele. "Ontem, três dos que estão conosco oraram para receber Jesus em seus corações."
é incerto se o Primeira Igreja Batista Fukushima nunca mais vai retornar ao seu lar original, perto da usina. Mesmo assim, Sato continuamente visita os membros do seu rebanho espalhado por todo o Japão.

Réplica da primeira Assembleia de Deus é inaugurada em Belém


Uma réplica da primeira igreja da Assembleia de Deus em Belém foi inaugurada, na manhã de ontem (20), no bairro de Batista Campos. A ação, que faz parte das comemorações do centenário da igreja no Estado, foi marcada ainda por uma caminhada. “Essa é a volta às nossas origens, à nossa história. Estamos devolvendo à cidade de Belém uma referência. Crescemos e hoje somos entre 10 e 13 milhões de fiéis no Brasil”, falou o presidente da igreja, pastor Samuel Câmara.
A programação para a inauguração do prédio que representa a réplica da primeira Assembleia de Deus em Belém começou em outro templo, localizado na avenida Padre Eutíquio, no bairro da Condor. De lá, dezenas de fiéis marcharam pela Conselheiro Furtado até o local da réplica. “É uma satisfação muito grande poder estar em um prédio que representa a nossa história”, falou a dona de casa Marina Silva, que participava da programação.
Segundo o pastor Guilherme Costa, responsável pela programação de ontem, a igreja terá reuniões normais, mas também ficará aberta ao público que queira conhecer o espaço, localizado na avenida Conselheiro Furtado, próximo da Tupinambás. “As obras no local demoraram 14 meses para serem concluídas. Aqui temos uma volta em uma data que marca 8 de novembro de 1914, quando foi aberto o primeiro templo da Assembleia de Deus no Brasil, que foi aqui, em Belém”, informa Costa.
As comemorações pelo centenário da igreja seguem até 16, 17 e 18 de junho. A organização estima que cerca de 450 mil pessoas virão a Belém, nesses dias, para a comemoração, quando pregadores e conferencistas de todo o Brasil e de outros países virão para as celebrações.

sábado, 23 de abril de 2011

A SEGURANÇA EM CRISTO


TEXTO: I João 5.13-21  

INTRODUÇÃO: A SEGURANÇA ou CERTEZA DA VIDA ETERNA deve ser a âncora que segura o verdadeiro cristão. Sem esta certeza seria como semear, sabendo que nunca irá colher.
Todo o cristão deve TER a certeza da salvação, ou seja: “a certeza de que, quando Cristo voltar ou a morte chegar, esse cristão irá estar com o Senhor, no céu. 2Co 5.8: “temos bom ânimo, mas desejamos antes estar ausentes deste corpo, para estarmos presentes com o Senhor”.
O propósito de João ao escrever esta primeira epístola é que o povo de Deus tenha esta certeza (1 Jo 5.13). “Estas coisas vos escrevo, a vós que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna”.
Esta epístola expõe nove maneiras de sabermos que estamos salvos como crentes em Jesus Cristo.

1- Temos a certeza da vida eterna quando cremos "no nome do Filho de Deus" (1Jo5.13; 4.15; 5.1,5). Não há vida eterna, nem certeza da salvação, sem uma fé TT; é esta que o confessa como o Filho de Deus, enviado como Senhor e Salvador nosso.

2- Temos a certeza da vida eterna quando temos Cristo como Senhor da nossa vida e procuramos sinceramente guardar os seus mandamentos. I João 2.3-5. "E nisto sabemos que o conhecemos: se guardarmos os seus mandamentos. Aquele que diz:Eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso,e nele não está a verdade.Mas qualquer que guarda a sua palavra,o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado;nisto conhecemos que estamos nele" (1Jo 3.24) . “Quem guarda os seus mandamentos, em Deus permanece e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos tem dado. I Jo. 5.2. “Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, se amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Jo14.23; “Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada”. Hb 5.9: e, tendo sido aperfeiçoado, veio a ser autor de eterna salvação para todos os que lhe obedecem.

3- Temos a certeza da vida eterna quando amamos o Pai e o Filho, e não o mundo (1Jo 5.4). “porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”.

4- Temos certeza da vida eterna quando habitual e continuamente praticamos a justiça, e não o pecado (1Jo 2.29). “Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele”. Por outro lado, quem vive na prática do pecado é do diabo (1Jo3.7-9). “Filhinhos, ninguém vos engane; quem pratica a justiça é justo, assim como ele é justo; quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo. Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus.

5- Temos certeza da vida eterna quando amamos os irmãos (1Jo3.14) “Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama permanece na morte. e 2.9. “Aquele que diz estar na luz, e odeia a seu irmão, até agora está nas trevas”.

6- Temos a certeza da vida eterna quando temos consciência da habitação do Espírito Santo em nós."E nisto conhecemos que ele está em nós:pelo Espírito que nos tem dado" (1Jo3.24).Ver também Jo4.13: "Nisto conhecemos que estamos nele,e ele em nós,pois que nos deu do seu Espírito".

7- Temos a certeza da vida eterna quando nos esforçamos para seguir o exemplo de Jesus e viver como ele viveu (1Jo2.6). “aquele que diz estar nele, também deve andar como ele andou”.

8- Temos a vida eterna quando cremos, aceitamos e permanecemos na "Palavra da vida", o Cristo vivo (1Jo1.1), e de igual modo procedemos com a mensagem de Cristo e dos apóstolos,conforme o NT(1Jo 2.24). “Portanto, o que desde o princípio ouvistes, permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também vós permanecereis no Filho e no Pai”.

9- Temos a certeza da vida eterna quando temos um intenso anelo e uma inabalável esperança pela volta de Jesus Cristo,para nos levar para si mesmo. "Amados,agora somos filhos de Deus,e ainda não é manifesto o que havemos de ser.Mas sabemos que,quando ele se manifestar,seremos semelhantes a ele;porque assim como é o veremos.E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo,como também ele é puro”. (1Jo3.2,3).

APOIO BÍBLICO PARA A CERTEZA DA VIDA ETERNA.

1. Apoio explícito
Nada pode nos separar do amor de Deus (Rm 8:28-39). “Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos; e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou. Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
As palavras do Senhor Jesus (Jo 5:24); Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida”.
Aqui nos cabe prestar atenção as palavras ditas pelo próprio Senhor Jesus. Segurança maior que esta não pode haver. Vejamos:

Jo 5:24 -"tem a vida eterna - não entra em juízo - mas passou da morte para a vida."

Jo 6:37 -"de modo nenhum o lançarei fora."

Jo 6:51,58 -"viverá eternamente"

Jo 10:27-29 - "Eu lhes dou a vida eterna - jamais perecerão eternamente -ninguém as arrebatará da minha mão - da mão do Pai ninguém pode arrebatar.

Jo 11:25,26 - "Quem crê em mim, ainda que morra viverá ; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá eternamente."

Mediante esta vasta gama de passagens bíblicas podemos afirmar, sem medo de errar, que o cristão pode e deve ter certeza da sua Salvação.

2. Apoio lógico
a. Afinal a salvação depende da obra efetuada na cruz, é um dom gratuito de Deus.

b. Quando recebemos a Cristo, recebemos a vida eterna.

c. A nossa salvação depende da perfeição da completa obra de Cristo por nós. Ele disse: "está consumado"...

I. O significado da salvação: a salvação diz respeito a sermos salvos perante Deus e inclui:

A. Sermos perdoados dos nossos pecados — At 10:43; 1 Jo 2:12.

B. Sermos poupados da perdição eterna — Jo 5:24.

C. Sermos regenerados—1 Pe 1:3, 23.

D. Termos a vida eterna de Deus—1 Jo 5:12-13.

E. Tornarmo-nos filhos de Deus—Jo 1:12.

II. Recebemos a salvação no momento em que cremos - At 16:31; Rm 10:10:

A. Somos redimidos:

1. Recebemos o perdão dos pecados — At 10:43, 1 Jo 2:12

2. Somos libertados do juízo e da maldição da lei — Jo 3:18; Gl 3:13.

3. Somos lavados—1 Co 6:11; At 15:9.

4. Somos santificados —1 Co 6:11; At 26:18.

5. Somos justificados — Rm 5:1; 3:28, 30; Gl 3:8, 24; At 13:39.

6. Somos reconciliados — Rrn 5:10.

B. Somos regenerados — Jo 1:12-13.

C. Passamos da morte para a vida — Jo 3:16; 5:24.

III. A certeza da salvação:

A prova exterior: a palavra de Deus - I Jo 5:13:
As palavras da Bíblia são o título de propriedade da nossa salvação eterna. Por elas temos a garantia e a certeza da nossa salvação.
As palavras da Bíblia são fidedignas e jamais podem ser mudadas ou anuladas. Os sentimentos humanos oscilam segundo a disposição de ânimo e segundo o ambiente, e não são dignos de confiança.
A Bíblia afirma claramente que uma pessoa é salva no momento em que crê no Senhor Jesus, este fato fica estabelecido, independente da opinião humana. Devemos permanecer firmes nas palavras da Bíblia e assim fazendo, seremos fortalecidos cada vez mais na verdade eterna.
Alguns versículos chaves:

1. "Quem crê, tem a vida eterna"—Jo 6:47.

2. "Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo"—Rm 10:13

3. "Quem crer e for batizado será salvo"—Mc 16:16.

4. "Quem ouve as minhas palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida"—Jo 5:24.

A DOUTRINA DA SEGURANÇA

A. A possibilidade da segurança.

1. No passado o povo de Deus experimentou da segurança - Salmos 23:6; II Cor 5:1; Heb 11:13; Fil. 1:21; I João 4:16.

2. A Palavra de Deus declara que nós podemos ter segurança - I João 5:13; 3:14.

3. Deus manda procurarmos a segurança - II Pedro 1:10; II Cor 13:5.

4. A graça de Deus é a base da segurança - Rom 4:16

Aqueles que fazem que a salvação dependa, em parte, do trabalho do homem nunca poderão pregar segurança em Cristo. Isso é ilustrado em todos os grupos que ensinam que o homem deve obter ou manter sua salvação com as suas próprias forças.

B. A necessidade da segurança.

A segurança na salvação é necessária tanto para o gozo como para o serviço do crente.
A base do nosso regozijar é a certeza da salvação (Luc 10:20; Rom 5:2).
O serviço dos crentes não é motivado pelo medo, mas pela segurança (Rom 8:15; Gálatas 4:5-7).
Não somos servos aterrorizados, mas filhos de Deus, alegres.

Pr. Adaylton de Almeida Conceição (B.T.; M.T.; D.D.)
psimed2@yahoo.com.br /// (13) 9138-7832

quinta-feira, 21 de abril de 2011

QUANDO CELEBRAMOS A PÁSCOA...


Assim, há os que celebram a Páscoa com a única preocupação dos quilos a mais que podem ganhar, obviamente por causa do excesso de chocolate. 
Há também os que nutrem uma visão meramente comercial, com a possibilidade de bons negócios e dos lucros que possam auferir. Alguns poucos celebram-na sentindo-se mais próximos de Deus, contritos e arrependidos, mas com alegria espiritual e imensa gratidão pela obra redentora de Cristo. Outros há que não a celebram, antes a sofrem, se entristecerem, ou se privam das mínimas alegrias.
Quando pensamos em todas as movimentações que permeiam essa celebração e observamos os comportamentos e sentimentos demonstrados, podemos indagar o que Jesus poderia estar pensando das nossas motivações e atitudes. Será que Jesus se sente honrado com todas as manifestações que são feitas em Seu nome?
Sabemos que a Páscoa, originalmente, foi instituída como festividade símbolo da libertação de Israel do Egito, no evento conhecido como Êxodo. Nessa ocasião, um cordeiro era morto, comia-se sua carne numa reunião familiar, acompanhado de ervas amargosas e pão sem fermento. Essa celebração fazia parte da Antiga Aliança e apontava para o Cordeiro de Deus que seria morto pela humanidade.
Com Sua morte, Cristo instituiu uma Nova Aliança, celebrada com a Santa Ceia, comendo pão e bebendo vinho, que simbolizam o corpo de Jesus ferido e o Seu sangue derramado na cruz para salvar os pecadores.
Alguns religiosos colocam uma ênfase exagerada no sofrimento e morte de Cristo, como se a história tivesse parado nesse ponto, e nada falam da ressurreição. Em vez de alegria, há celebração da tristeza.
Ora, assim como a Páscoa dos judeus falava de libertação, também a Páscoa dos cristãos deveria falar alegremente da libertação que a morte e ressurreição de Cristo nos possibilitou. É isso que os evangelhos nos apresentam.
Por exemplo, no domingo, quando dois discípulos caminhavam para Emaús, com suas mentes embotadas pelos últimos acontecimentos da sexta-feira trágica, quando Jesus fora crucificado e morto, sua conversa girava acerca disso e de um novo “boato” que partira das mulheres.
O rumor de que Jesus havia ressuscitado se avolumava, mas debaixo de grande ceticismo. Nesse momento, Jesus se achega e pergunta o que lhes preocupava e sobre o que conversavam. Eles, perplexos, disseram: “És o único que, tendo estado em Jerusalém, ignoras as ocorrências destes últimos dias?”
E Jesus, sendo o único que realmente sabia de tudo, perguntou: “Quais?” E eles continuaram: “O que aconteceu a Jesus, que era profeta, poderoso em palavras e obras, e como as autoridades o condenaram e o crucificaram. Nós esperávamos que fosse ele quem havia de nos redimir; mas depois de tudo, é já este o terceiro dia, e nada aconteceu. E algumas mulheres disseram que ele ressuscitou. Alguns dos nossos foram ao túmulo e viram que estava vazio, mas não o viram” (Lc 24.13-35).
Ao usarem todos os verbos no passado, mostram que estavam presos no pensamento da morte, fixados nas trevas da tragédia da sexta-feira. Isso lhes roubava a luz da ressurreição do domingo. Por isso, a ressurreição, para eles, era apenas uma “conversa de mulheres”. Mas Jesus toma a palavra, os adverte, e cita as Escrituras a Seu respeito, dizendo que embora Sua morte estivesse predita, esta não seria a última palavra, mas sim a vida eterna que a Sua ressurreição traria a todos.
Essa é essencialmente a mensagem da Páscoa: Jesus vive! Infelizmente, ainda hoje, alguns continuam curtindo as dores da morte de Jesus. Outros ficam apenas chocados pela crueldade dos que mataram o Filho de Deus. Outros, mesmo sem bases bíblicas, celebram com a alegria rasa de chocolates e comilanças.
Anos de “poeira” histórica fizeram com que a real dimensão da Páscoa fosse perdida. O sacrifício do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo foi o maior ato do amor divino em prol da humanidade. Lamentavelmente, alguns se embriagam de futilidades e se esquecem da tragédia da cruz e da glória da ressurreição.
Quando celebramos a Páscoa, precisamos saber que não podemos viver nos mesmos pecados pelos quais Jesus morreu. Precisamos conhecer o poder da Sua ressurreição, pois Deus “nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1 Pe 1.3). Só assim a Páscoa será feliz com Jesus!

Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém

quarta-feira, 20 de abril de 2011

PÁSCOA INFORMATIZADA

Dá um DUPLO CLIQUE nesta Páscoa !
ARRASTA JESUS para o teu DIRETÓRIO PRINCIPAL.
SALVA-O em todos os TEUS ARQUIVOS PESSOAIS.
SELECIONA-O como o teu DOCUMENTO MESTRE.
Que Ele seja o teu MODELO para FORMATARES a tua vida:
JUSTIFICA-A e ALINHE-A À DIREITA e À ESQUERDA, sem QUEBRAS na tua caminhada.
Que Jesus não seja apenas um ÍCONE, um ACESSÓRIO, uma FERRAMENTA, um RODAPÉ,
mas o CABEÇALHO, a LETRA CAPITULAR, a BARRA DE RODAGEM do teu caminhar.
Que Ele seja a FONTE da graça para a tua ÁREA DE TRABALHO, o PAINTBRUSH para COLORIR o teu sorriso, a CONFIGURAÇÃO da tua simpatia, a NOVA JANELA para VISUALIZAR o TAMANHO do teu amor, o PAINEL DE CONTROLE, para CANCELAR os teus RECUOS, COMPARTILHAR os teus RECURSOS e ACESSARES ao coração das tuas amizades.
COPIA tudo que é bom DELETA os teus ERROS.
Não deixes ninguém à MARGEM.
ABRE as BORDAS do teu coração, REMOVE dele o VÍRUS do egoísmo.
CLICA agora em OK para ATUALIZARES os teus CONTEÚDOS !
Complicar é simples.
Simplificar é que é complicado...
Antes de FECHARES, coloca JESUS nos teus FAVORITOS e a tua Páscoa será o ATALHO para a tua felicidade!
Que Você tenha um ótimo final de Semana e Feriado na Paz!

Enviado por Mestre Nelson

terça-feira, 12 de abril de 2011

Por que igrejas se dividem, ou fecham?

Escritura: Atos 20:28-35
"28 Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. 29 Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; 30 E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. 31 Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós. 32 Agora, pois, irmãos, encomendo-vos a Deus e à palavra da sua graça; a ele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados. 33 De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário. 34 Sim, vós mesmos sabeis que para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram. 35 Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. (Atos 20:28-35 ACF)"

Texto: Jeremias 23:1
 "Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. (Jeremias 23:1 ACF)"

Introdução:
Ao tempo em que eu estava nas Filipinas, tive o desprazer de falar com alguns pastores que tinham levado uma boa igreja a sério erro. [Posteriormente,] muitos [crentes] me perguntaram "Por que acontecem coisas assim?" Depois de retornar ao Canadá, descobri que uma forte Igreja Batista Missionária tinha se fragmentado em quatro. E tive notícia de uma outra igreja que está atravessando sérias dificuldades. Novamente me perguntaram "Por que isto acontece? Qual a causa?"
Eu não alego ter todas as respostas, mas penso que as palavras das Escrituras lidas há pouco e que servirão de base a este sermão, e a advertência do texto áureo que enfatizei, respondem à maior parte destas perguntas. Com toda certeza, o problema está no homem, não em Deus. Está com os membros e não com o Cabeça da Igreja. Portanto, lidarei com este assunto sob os seguintes quatro subtítulos:

1. A liderança [o pastor] é RESPONSÁVEL
2. O dono [da igreja, isto é, o Senhor Jesus Cristo] seja RECONHECIDO
3. A graça soberana [e saradora] é REAL
4. O semeado será o que RECOLHEREMOS

1. A Liderança [o Pastor] é RESPONSÁVEL
As palavras de Jesus a Pedro mostram o zelo e cuidado do Senhor pelas ovelhas (os eleitos)

João 21:17
"Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. (João 21:17)"

Em toda a Bíblia, não há nenhum ofício mais importante que aquele do "pastor". Jesus é o Bom Pastor, o Bom Apascentador. Aqueles [que trabalham] sob suas ordens devem fazer Sua obra [Seus atos] e demonstrar Seu Espírito às [Suas] ovelhas, de acordo com Sua Palavra [e Seu exemplo] e Seu desejo.

1.A. PASTORES ALIMENTAM E GUIAM NA FRENTE,
dando exemplo, mostrando o caminho, e chamando [esta é a definição de liderar!] para serem seguidos, eles não ficam atrás chicoteando e empurrando. Jesus é o exemplo de liderar uma igreja.

João 10:11
"Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. (João 10:11)"

João 10:14
"Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. (João 10:14)"

1 Pedro 2:25
"Porque éreis como ovelhas desgarradas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas. (1 Pedro 2:25)"

1. Não há nenhum melhor exemplo de liderança do que aquela do nosso Senhor Jesus Cristo.
2. O bom pastor dá sua vida pelas ovelhas. O bons líderes, na igreja, reconhecem que suas vidas pertencem a Cristo e às ovelhas, não a si próprios.
3. Há um relacionamento bom e forte entre os apascentadores e suas ovelhas. O bom pastor procura conhecer as ovelhas e ser conhecido por elas.
4. O pastor tem a responsabilidade de liderar (ir na frente, dando o exemplo e mostrando o caminho) e de alimentar as ovelhas. Ovelhas não podem ser empurradas, e têm que ser alimentadas com comida da melhor qualidade.
5. A maior parte da comida fornecida pelos pastores de hoje é "junk food" [sorvetes e refrigerantes podem deliciar o paladar ... mas são insuficientes e até mesmo prejudiciais para saúde e crescimento]. Comida vazia da graça de Deus não contém as vitaminas que fazem ovelhas saudáveis e edificam igrejas fortes.
6. O bom pastor amou, buscou com desconforto e risco de vida, e trouxe de volta ao aprisco a ovelha extraviada.

Isaías 53:6
"Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. (Isaías 53:6)"

7. Deus julgará os pastores que espalham as ovelhas.

Jeremias 23:1
"Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. (Jeremias 23:1)"
2.B. PASTORES AGEM COM
RESPONSABILIDADE:
Paulo dá a Timóteo a lista dos requisitos indispensáveis para um pastor, em 1 Timóteo 3:1-7 (antes da pela lista dos requisitos indispensáveis para os servos-diáconos):
"1 Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. 2 Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; 3 Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganáncia, mas moderado, não contencioso, não avarento; 4 Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia 5 (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?); 6 Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. 7 Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo. (1 Timóteo 3:1-7)"

O problema de hoje:

1. Alguns pastores não gostam de ser servos, mas isto é exatamente o que um pastor é. Ele não pode ser como um garotinho jogando bola e que se enche de raiva quando as coisas não correm do modo que ele quer "Se vocês não jogarem do modo que EU quero, então eu juro que pego minha bola e vou-me embora." Alguns homens são tolos demais para serem bons pastores. Nunca duram muito em canto nenhum. Bons líderes [que vão na frente dando o exemplo, mostrando o caminho e chamando] têm que, antes de tudo, ser bons seguidores.
Paulo disse, em 1 Coríntios 11:1 - "Sede meus imitadores, como também eu [sou imitador] de Cristo. (1 Coríntios 11:1)"

2. Alguns outros pastores têm procurado não desagradar o mundo, mas isto também é pecado.

João 15:19
"Se vós fósseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. (João 15:19)"

Tiago 2:5
"Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam? (Tiago 2:5)"

1 João 2:15
"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. (1 João 2:15)"

1 João 3:1
"Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fóssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. (1 João 3:1)"

3. Outros pastores servem-se a si mesmos e não cuidam das ovelhas.
Não ter vida de oração "desliga" o pastor do poder de Deus.
O pastor que se compraz com o exercício do poder tenderá a empurrar e não a liderar.
Conhecer as ovelhas e providenciar alimento para elas exige [muito] tempo [e esforço paciente e determinado]. Ademais, cordeirinhos [novos] requerem alimentos diferentes daqueles das ovelhas [adultas].
Muitos pastores olham apenas para seus salários e isto torna-se o critério número um de suas "pregações sempre preparando caminho em busca de um melhor salário ou de um convite para uma igreja maior e mais rica".

4. Em países pobres as pessoas têm apenas arroz e peixe para comer. No entanto, igrejas mirradas são o resultado de maus pastores que não investem [bastante] tempo para checar as dietas de suas ovelhas e para alimentá-las apropriadamente [em qualidade e quantidade].

5. Alguns pastores são meras testas de ferro de suas esposas. Deus chama homens [verdadeiros] para serem pastores. Somente homens sem tutano, molóides, marionetes dominados pelas esposas, decaem ao ponto de serem pastores controlados pelas esposas e que não podem tomar decisões por si mesmos ou ser guiados pelo Espírito de Deus. Ao invés de dizerem "assim diz o Senhor", alguns pastores deveriam ser honestos e dizer "assim disse minha mulher."
Programas e evangelismo obedecendo e imitando a Bíblia edificam a igreja e cimentam as relações. Música e programas carnais e mundanos, que não geram [verdadeira] adoração e culto [a Deus], não manterão as ovelhas unidas. Ovelhas precisam ser alimentadas, não entretidas e divertidas.

6. [O padrão bíblico é:] Pastores alimentam as ovelhas, e ESTAS produzem cordeirinhos. Cordeirinhos (e lã) devem ser produzidos pelas OVELHAS (O pastor pode ajudar, mas isto é o trabalho delas, não dele.)

2. O Dono é RECONHECIDO:
As ovelhas são propriedade do Senhor; as igrejas são seu corpo. Mas os crentes de hoje encaram suas igrejas como clubes sociais, estabelecimentos comerciais. [Cada] igreja torna-se como um clube com muitos grupos antagônicos, cada um procurando assumir o controle global. Naturalmente, esta não é uma igreja que encontramos na Bíblia. Não é uma igreja do Novo Testamento. [Cada] igreja de Jesus foi comprada a um custo tremendo!

Colossenses 1:24
"Regozijo-me agora no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja; (Colossenses 1:24)
Atos 20:28
"Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. (Atos 20:28)"

2.A. [CADA] IGREJA É O CORPO DE CRISTO:
Paulo referiu-se a [cada] igreja como o Corpo de Cristo.

Efésios 1:22-23
"22 E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja, 23 Que é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos. (Efésios 1:22-23)"

1 Coríntios 12:12
"Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. (1 Coríntios 12:12)"

O ensino de Paulo em 1 Coríntios capítulo 12 é "participação [cooperativa, harmônica e harmoniosa] de cada membro." Sim, pois Paulo compara a Igreja ao corpo humano.

1 Coríntios 12:18-20
"18 Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. 19 E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? 20 Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo. (1 Coríntios 12:18-20 ACF)"

2.B. CADA MEMBRO É RESPONSÁVEL ANTE O DONO:

1 Coríntios 3:16-17
"16 Não sabeis vós [a igreja local?] que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 17 Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. (1 Coríntios 3:16-17 ACF)"

1 Coríntios 6:19-20
"19 Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 20 Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. (1 Coríntios 6:19-20)"

Atos 20:28
"Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. (Atos 20:28 ACF)"

1. Os membros devem honrar o pastor, mas é a Jesus Cristo que devemos nossa [suprema] lealdade e obediência.

Colossenses 1:14
"Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados; (Colossenses 1:14)"

Hebreus 9:12
"Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção. (Hebreus 9:12)"

Apocalipse 5:9-10
"9 E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; 10 E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra. (Apocalipse 5:9-10)"

2. O local de trazer glória a Jesus Cristo é nos cultos da igreja [local, de que você é membro]. Mostre-me um verso das Escrituras que prove que você pode trazer glória a Deus lá fora com um caniço de pesca nas suas mãos. Mostre-me um verso das Escrituras que prove que você pode trazer-lhe glória no campo de golfe. A Bíblia diz que é na sua igreja [nas suas reuniões regulares, todos os membros sob o mesmo teto] e [cada] Igreja é seu corpo visível, não alguma coisa mística e invisível e que não exige nenhum compromisso físico.

Efésios 3:21
"A esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém. (Efésios 3:21)"

Aqueles que não fazem uma dedicação real e tangível por Jesus Cristo e sua igreja, causam divisões e ajudam a fechar as igrejas [por onde passarem].

3. Membros carnais da igreja [local] causam divisões e a fecham.

1 Coríntios 1:10
"Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer. (1 Coríntios 1:10 ACF)"

1 Coríntios 11:18
"Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja, há entre vós dissensões; e em parte o creio. (1 Coríntios 11:18 ACF)"

1 Coríntios 3:3
"Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens? (1 Coríntios 3:3)"

1 Coríntios 3:4
"Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais? (1 Coríntios 3:4)"

3. A Graça Soberana [e saradora] [de Deus] é REAL:

Atos 20:32
"Agora, pois, irmãos, encomendo-vos a Deus e à palavra da sua graça; a ele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados. (Atos 20:32)"

Tito 2:11-12
"11 Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, 12 Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente. (Tito 2:11-12)"

Graça não apenas traz salvação, ela também nos ensina a viver retamente.
Tem sido minha observação, ao longo dos anos, que as igrejas que mais fortemente enfatizam a soberana graça de Deus são as mais estáveis.
Outras [igrejas] podem parecer estar indo bem, mas a aparência externa nem sempre nos conta toda a história.
Em nosso ministério nas Filipinas, havia muitos [pastores e missionários] que aclamariam as doutrinas da graça soberana. No entanto, não estão desejosos de pagar o preço de perderem os sustento. Para eles, dinheiro significa mais que verdade. Louvado seja Deus por aqueles que são fiéis à verdade, não importa o custo.
Aqui, no nosso texto, Paulo adverte de falsas doutrinas e falsos pregadores. No meio disto, ele "os entrega a Deus e à palavra de sua graça."
Paulo nos fala a respeito do seguinte:

3.A. A GERAÇÃO SEGUINTE, DE PREGADORES:
"Depois de minha partida……"

1. Quando Paulo não mais estiver lá para guardar as ovelhas, como um bom pastor. Então lobos vorazes se infiltrarão sorrateiramente, não poupando o rebanho.

2. A geração seguinte é quase sempre mais liberal. Gosta de fazer as coisas de modo mais moderno e não anda na fé de nossos pais.

3. Será que o abaixo não soa familiar, hoje?

Juízes 2:17
"Porém tampouco ouviram aos juízes, antes prostituíram-se após outros deuses, e adoraram a eles; depressa se desviaram do caminho, por onde andaram seus pais, obedecendo os mandamentos do SENHOR; mas eles assim não fizeram. (Juízes 2:17)"

1 Samuel 8:3
"Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele, antes se inclinaram à avareza, e aceitaram suborno, e perverteram o direito. (1 Samuel 8:3)"

Jeremias 2:8
"Os sacerdotes não disseram: Onde está o SENHOR? E os que tratavam da lei não me conheciam, e os pastores prevaricavam contra mim, e os profetas profetizavam por Baal, e andaram após o que é de nenhum proveito. (Jeremias 2:8)"

4. A ênfase da maioria das igrejas de hoje está nas emoções e no livre arbítrio do homem, está muito distante da soberania de Deus como nos foi ensinada por nossos antecessores. A ênfase de hoje equivale ao ensino de "salvação por graça + obras".

5. Homens que buscam satisfazer seu orgulho e egoísmo causam divisões e depois abandonam a igreja carregando os discípulos [que conseguiram fazer].

3.B. RELEMBRA TUA VERDADE FUNDAMENTAL:

1. A advertência de Paulo e das Escrituras:

Atos 20:31
"31 Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós. "

2. Paulo os tinha ensinado a confiar na graça soberana de Deus e a desistirem da vontade deles para procurarem a vontade do Senhor.

3. Graça traz salvação, graça nos ensina a viver. Portanto, sigamos a graça.

4. Pastores e igrejas que seguem seus próprios "livres arbítrios", cairão.

João 6:63
"O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida. (João 6:63)"

5. A herança dos eleitos de Deus é encontrada na soberana graça [do Altíssimo] soberana entre aqueles que são os santificados (separados à parte como santos, para [e por] Deus).

4. O Semeado Será o que RECOLHEREMOS:

Atos 20:33-35
"33 De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário. 34 Sim, vós mesmos sabeis que para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram. 35 Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. (Atos 20:33-35)"

4.A. CARNE APODRECE:

Jó 34:15
"Toda a carne juntamente expiraria, e o homem voltaria para o pó. (Jó 34:15)"

A igreja (ou ministério) que é erigida sobre a carne nunca permanecerá.

1. A semente semeada será a que será colhida. Se ensinarmos nossas ovelhas a seguirem seus livres arbítrios, conheceremos pouco da graça de Deus.

2. Violões não são tocados somente com uma corda, nem pianos com uma só tecla. Igrejas que enfatizam somente uma doutrina não serão fortes. Uma dieta continuada, quase que apenas de "a doutrina da igreja" ou de "a necessidade de evangelizar", não resultará em igrejas fortes, equilibradas e sadias. [Somente] serão produtivas aquelas ovelhas que forem bem nutridas [dieta com todos os nutrientes necessários, em quantidade e qualidade e proporção adequada e equilibrada].

3. Uma atitude de "sou mais santo que vocês" não tem perdão. Precisamos relembrar a fossa de onde nós próprios fomos desenterrados [por Deus]. Talvez façamos isto muito bem teologicamente, todavia muito mal na nossa vida prática.

4. Cobiça é pecado e contrária ao 10o mandamento. Paulo disse "De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário." Quando necessário, Paulo trabalhou com suas próprias mãos, como um fazedor de tendas. Não é errado um pastor ter um emprego secular, algumas vezes somente assim é que manterá as portas da igreja abertas!

5. Confiar em homens [!] para suprirem nossas necessidades é errado e não é caminhar pela fé.

Pastores e igrejas que roubem o povo caem dentro desta categoria:

Salmo 37:21
"O ímpio toma emprestado, e não paga; mas o justo se compadece e dá. (Salmos 37:21)"

6. Igrejas se dividem e fecham quando seus membros só pensam em si próprios e não nos outros nem na obra de Cristo.

Salmo 106:13-15
"13 Porém cedo se esqueceram das suas obras; não esperaram o seu conselho. 14 Mas deixaram-se levar à cobiça no deserto, e tentaram a Deus na solidão. 15 E ele lhes cumpriu o seu desejo, mas enviou magreza às suas almas. (Salmos 106:13-15)."


Gálatas 5:13-16
"13 Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor. 14 Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. 15 Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros. 16 Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. (Gálatas 5:13-16)"

4.B. O ESPÍRITO VIVIFICA:

2 Coríntios 3:6
"O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. (2 Coríntios 3:6)"

1. Temos de depender do mover do Espírito Santo.

Zacarias 4:6
"E respondeu-me, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos. (Zecarias 4:6)"

2. Muitos trabalham sozinhos [! sem o Senhor] e para nada.

Salmos 127:1
"<> Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. (Salmos 127:1)"

3. Igrejas que olham para as necessidades dos outros são abençoadas.

Salmo 126
"1 <> Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham. 2 Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cántico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes. 3 Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres. 4 Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul. 5 Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. 6 Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. (Salmos 126:1-6)"

4. A resposta de Paulo a aqueles em necessidade é positiva & corretiva. Ele procurou edificar e não demolir. Procurou restaurar e não destruir.

Gálatas 6:1-10:
"1 Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado. 2 Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. 3 Porque, se alguém cuida ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo. 4 Mas prove cada um a sua própria obra, e terá glória só em si mesmo, e não noutro. 5 Porque cada qual levará a sua própria carga. 6 E o que é instruído na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o instrui. 7 Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. 8 Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. 9 E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. 10 Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé. (Gálatas 6:1-10)"

a) Encaminhai o tal - vs 1

b) Levai as cargas uns dos outros - (grego "baros"- peso de uma carga) vs 2

c) Não cuideis ser alguma coisa - vs 3

d) Prove cada um a sua PRÓPRIA obra,. -vs 4

e) Cada qual levará a sua própria carga. - vs 5 (grego "phortion"- significa obrigação legal)

f) Sustentai aquele que vos instrui. 6

g) Tudo o que o homem semear, isso também ceifará - vs 7

h) Ceifamos proporcionalmente àquilo que havemos semeado. Vs 8

i) Não vos enfadeis de fazer o bem: colheremos abundantemente se perseverarmos em fazer o bem. - vs 9

j) Remi o tempo, aproveitai toda a oportunidade para ajudar outros, particularmente os companheiros crentes, ainda mais particularmente os membros da vossa igreja local Vs 10

5. Igrejas que se dividem e fecham têm esquecido seu chamado e as palavras de Cristo e de Paulo.

Atos 20:35
"Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. (Atos 20:35)"

Lucas 6:38
"Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. (Lucas 6:38)"

Igrejas e crentes que estão zelosamente ocupados em fazer estas coisas [1- pastores dedicados, que alimentam e guiam na frente pelo exemplo; 2 - dono reconhecido; 3 - fonte de poder é a graça;
4 - semeiam generosamente] não terão tempo para divisão. Deus abençoará a igreja e ela crescerá, ao invés de fechar [ou se dividir].

Conclusão:

Igrejas que se dividem e fecham são constituídas de pessoas que não estão seguindo na graça do nosso Senhor Jesus Cristo. Cada um dos seus membros quer impor seu modo de fazer as coisas e não tem nenhuma preocupação em favor das ovelhas que o Senhor quer trazer para seu aprisco.
Igrejas [ferventemente] ocupadas em fazer a obra e a vontade do Senhor não terão tempo para coisa alguma além disso [fazer a vontade do Senhor!].


Sermão pregado pelo Dr. D. Paul Tuck Sr.
Richmond Hill, Ontario, Canada
Manhã do domingo 10 de setembro de 2000.