Pesquisar este blog

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Como nos Dias de Noé e Ló.

Quando Yeshua ensinou sobre sua Segunda Vinda, ele a comparou ao dilúvio de Noé e à destruição de Sodoma. Esses foram eventos históricos reais, contudo, também servem como padrão para o que virá sobre a terra no fim dos tempos.

Lucas 17.26, 28: “Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do Homem. O mesmo aconteceu nos dias de Ló…”


Em ambos os eventos, houve destruição total como castigo de Deus. Nos dois, as pessoas foram pegas totalmente de surpresa. No caso de Noé, a destruição abrangeu o mundo inteiro e foi pelas águas do dilúvio. No caso de Ló, a destruição foi por fogo somente na região de Sodoma. Podemos concluir a partir disso que, na Segunda Vinda, o castigo será mundial, não local, porém por fogo e não por água (2 Pedro 3).

Se o castigo será parecido, podemos imaginar que o pecado também o será. As circunstâncias que prevaleceram naqueles dias prevalecerão novamente no fim dos tempos. No caso de Noé, o pecado mais predominante era a violência.

Gênesis 6.11: “A terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência.”

(É interessante que a palavra “violência” nesse texto é “hamas”, que em hebraico tem o mesmo som que o nome da organização terrorista, Hamas, embora não haja nenhuma ligação etimológica.) É possível pensar num mundo dominado por crime, corrupção financeira e violência terrorista?

Na semana passada, enquanto escrevia este artigo, cidadãos foram bombardeados com armas químicas na Síria, uma aeronave de vigilância não tripulada (drone) do Hizbollah foi abatida pela força aérea israelense enquanto se aproximava do porto de Haifa, e mísseis foram disparados da fronteira egípcia em direção ao sul de Israel. Um nível de violência mundial como nos dias de Noé poderia ser atingido pela difusão da Jihad islâmica em nossos dias.

Em Sodoma, o pecado era homossexualidade. O tipo de homossexualidade naquela época era agressivo e violento (Gênesis 19.4-11). A França aprovou, na semana passada, uma lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Há um movimento agressivo impondo os valores homossexuais no mundo ocidental. Qualquer um que os critique é atacado. O kibbutz (comunidade) messiânico em Israel, Yad Hashmonah, foi processado este ano por não permitir um casamento lésbico no local de sua sinagoga.

Até mesmo cristãos que não estão envolvidos nesse tipo de pecado serão afetados por ele. Ló era um homem justo, mas não conseguia realizar obras justas (construtivas). Todo o seu esforço espiritual era gasto em simplesmente sobreviver e superar o tormento de sua alma (2 Pedro 2.7). Que não fiquemos paralisados pelos espíritos de perversão sexual no fim dos tempos, mas que os derrotemos e sigamos rumo à vitória pela fé.

Assim como nos dias de Noé e Ló, os pecados dominantes de nossa geração são a Jihad e a homossexualidade.

Asher Intrater