Pesquisar este blog

segunda-feira, 23 de junho de 2014

A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS

A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
Prof. Adaylton de Almeida Conceição





Há uma expressão bíblica que pode ser lida exclusivamente na Carta aos Efésios: a multiforme sabedoria de Deus (em grego: η πολυποικιλοςσοφια του θεου). No texto o apóstolo destaca que Deus em sua sabedoria, que se apresenta de muitas formas diferentes, resolveu manifestar sua graça nos fazendo participantes da herança de Cristo.

"Para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais" Efésios 3.10.

A Multiforme Sabedoria de Deus

A sabedoria revelada na salvação por meio de Jesus Cristo está muito além da sabedoria dos anjos. Nesse texto, ela é citada como um meio de revelar o plano Deus para a nossa salvação, a fim de que os anjos possam ver e conhecer o quão grande e multiforme é a sabedoria de Deus; de forma que a sabedoria divina seja exposta diante dos olhos dos anjos para que eles a admirem. Durante todo esse tempo, os anjos haviam observado a face de Deus e estudado as obras de Sua criação. Apesar disso, até esse dia, eles jamais haviam visto algo semelhante.

Jamais haviam compreendido o quanto a sabedoria de Deus é multiforme, da forma como eles a compreendem agora, por meio da igreja!...

Consideremos a escolha da pessoa do nosso Redentor

. Quando Deus designou a redenção da humanidade, Sua grande sabedoria revelou-se no fato de que Ele mesmo determinou que o Seu Único Filho fosse a pessoa que executaria essa tarefa. Ele era o redentor escolhido pelo próprio Deus e, por essa razão, é chamado nas Escrituras de "O Escolhido de Deus" (Is 42.1).
 
A sabedoria na escolha dessa Pessoa se manifesta no fato dEle ser, em todos os aspectos, a pessoa mais apropriada para executar essa tarefa. Era necessário que a pessoa do redentor fosse uma pessoa divina. Ninguém poderia remover a infinita maldade do pecado, senão alguém que fosse infinitamente separado do pecado e contra o pecado.

Para que a pessoa fosse competente o suficiente para realizar essa tarefa, era imprescindível que ela fosse uma pessoa infinitamente digna e excelente e pudesse ser merecedora de infinitas bênçãos.

Era imprescindível que essa pessoa fosse muito amada por Deus Pai para que Ele concedesse um valor infinito ao acordo feito entre os dois, devido a Sua estima por essa pessoa, de modo que o amor do Pai por essa pessoa pudesse equilibrar a ofensa e a provocação causada pelos nossos pecados. E em relação a esse aspecto, Cristo é a pessoa mais adequada para ser o redentor. Somos aceitos pelo Pai, "no Amado" (Ef 1.6).

Era imprescindível que essa pessoa fosse alguém com autoridade absoluta para agir por si mesmo; alguém que não fosse um sevo ou um súdito, pois alguém que não pudesse agir por sua própria autoridade não teria valor algum. Aquele que fosse um servo e não pudesse fazer nada além do que aquilo que era obrigado a fazer não seria digno para essa tarefa.

Era imprescindível que essa pessoa possuísse verdade e fidelidade perfeitas e imutáveis. Caso contrário, não seria uma pessoa adequada, de quem poderíamos depender para realizar tamanha tarefa.

A sabedoria de Deus em escolher Seu Filho Eterno se manifesta não somente no fato dEle ser a pessoa mais adequada, mas também no fato dEle ser a única Pessoa adequada dentre todas, quer criadas ou não. Nenhum ser criado – quer fosse homem, quer fosse anjo – era adequado para realizar essa tarefa... Isso revela a sabedoria divina em saber que Cristo era a pessoa adequada. Nenhum outro, senão Aquele que possui a sabedoria divina poderia conhecer esse fato.

Consideremos a encarnação de Jesus Cristo

. O passo seguinte da sabedoria de Deus para planejar a forma como Cristo realizaria a obra da redenção dos pecadores seria determinar a Sua encarnação. Para que o Filho de Deus fosse o substituto no lugar do pecador, Ele teria de tomar para Si a dívida que pertencia ao pecador e viver aqui, em perfeita obediência à Lei de Deus. Como uma Pessoa que é o próprio Jeová eterno poderia se tornar um servo, ficar sujeito à Lei e viver em perfeita obediência, inclusive no que se refere às leis dos homens?

A sabedoria de Deus se manifesta na obra de Cristo e nos interesses que Ele tinha.

Essa sabedoria se manifesta principalmente no fato de que Ele deveria obedecer a Lei de Deus com perfeição, mesmo diante de tentações tão grandes; precisaria passar por conflitos contra os poderes da terra e do inferno e superá-los no caminho da obediência, por nossa causa; e teria de sujeitar-Se não somente à Lei Moral, mas também às leis cerimoniais, que eram um jugo pesado de servidão. Cristo cumpriu o Seu ministério público até o fim, entregando-nos as instruções e as doutrinas divinas.

O próximo aspecto a ser considerado é a morte de Cristo

. Esse meio para salvar pobres pecadores não poderia ser escolhido de outra maneira, senão pela sabedoria divina. Quando esse meio de salvação foi revelado, sem dúvida foi uma grande surpresa para todas as hostes celestiais; e elas nunca se cansarão de se maravilhar com isso.

A SABEDORIA DE DEUS

Romanos 16.27 diz: “Ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém”. A sabedoria é aqui atribuía somente a Deus. É Sua propriedade exclusiva. Nenhuma criatura pode reivindicá-la. Deus é tão sábio, que é a personificação da própria sabedoria. Portanto, como o verso diz, Deus é digno da nossa adoração.

Embora muitas pessoas confundam conhecimento com sabedoria, elas são bem distintas, como veremos a seguir.

O QUE É SABEDORIA?

Sabedoria consiste em agir para chegar a um fim correto. Deus determinou este fim, e está atualmente usando os meios apropriados para que isso ocorra. Porque dele e por ele, e para ele, sã todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém (Romanos 11.36).

Uma perfeita sabedoria exige um perfeito conhecimento de todas as circunstâncias, para nunca estar propenso a cometer um erro. O conhecimento é o fundamento da sabedoria.

Alguns homens podem ter certa medida de conhecimento, mas sem sabedoria. A sabedoria toma o conhecimento e com extrema habilidade o utiliza da melhor forma, de acordo com o julgamento correto das coisas. A própria Escritura, em Romanos 11.33, faz distinção entre conhecimento e sabedoria: Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!

 Multiforme sabedoria de Deus

– A palavra multiforme no grego significa “muito, variado, multicolorido”. Retrata a sabedoria de Deus como muito variada, com muitas gradações, tonalidades, matizes e expressões coloridas. Como um Deus de variedade, Ele ainda está entrando na arena humana apresentando uma sabedoria multiforme, multicolorida e diversificada para seu povo e por meio de seu povo.

 ALGUMAS PROPOSIÇÕES GERAIS ACERCA DA SABEDORIA DE DEUS.

Primeiro, devemos fazer distinção entre a sabedoria essencial de Deus e a pessoal. A Sua sabedoria essencial é aquela qualidade intrínseca à Sua essência ou natureza. A Sua sabedoria pessoal é a pessoa de Jesus Cristo. Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus (I Coríntios 1.24).



Segundo, a sabedoria não é uma qualidade acrescentada à essência de Deus, mas é a Sua própria essência. Sem ela, Ele não seria Deus. Todas as perfeições de Deus são uma só nEle. Embora as consideremos separadamente, distinguindo uma das outras, temos que entender que Deus é um ser único e não composto.
Terceiro, a sabedoria de Deus é transcendente e infinita. Ao único Deus sábio, diz o apóstolo. Todas as outras pessoas são, no melhor delas, meros filósofos. O título de filósofo (ou amantes da sabedoria) surgiu em relação a Deus, que é o único digno do título sophos (ou sábio). Vamos considerar alguns pontos em que Deus é sábio.

- Deus é necessariamente sábio. A sabedoria não pode ser separada dEle. Ela é a Sua primeira operação vital.



- Ele é originalmente sábio. Todas as outras formas de sabedoria provém dEle, mas Ele não as recebe de ninguém.

- Ele é perfeitamente sábio. Por outro lado, até mesmo a sabedoria dos anjos é limitada, e, portanto, imperfeita.
- Ele é universalmente sábio. Ele conhece tudo a respeito de todas as coisas, e faz uso perfeito deste conhecimento.



- Ele é perpetuamente sábio. Ao contrário dos homens, que adquirem sabedoria com o passar dos anos somente para envelhecer e perdê-la novamente.

- Ele é incompreensivelmente sábio. Seus juízos são insondáveis e seus caminhos inescrutáveis (Romanos 11.33). Não há limites de como Ele possa demonstrar Sua sabedoria para nós.

- Ele é infalivelmente sábio. Não há enganos nEle. A trama mais sábia de um anjo contra Ele está fadada ao fracasso, e somente contribuirá para o cumprimento dos Seus propósitos. Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o SENHOR (Provérbios 21.30).

A. W. Tozer e J.I. Packer definiram assim a sabedoria: “Nas Sagradas Escrituras sabedoria, quando usada por Deus e homens bons, sempre leva uma forte conotação moral. É concebida como sendo pura, amorosa e boa... Sabedoria, entre outras coisas, é a habilidade de criar finais perfeitos e alcançar aqueles finais pelos meios mais perfeitos. Ela vê o final pelo começo, assim nã precisa adivinhar ou conjeturar. Sabedoria vê cada coisa em foco, cada um em relação ao todo, e é então capaz de trabalhar em direção a objetivos predestinados com precisão perfeita.”

“Sabedoria é o poder para ver, e a inclinação para escolher, o melhor e mais alto objetivo, junto com a forma mais certa para alcançá-lo. Sabedoria é de fato, a prática ao lado da bondade moral. Como tal, é achada em sua inteireza somente em Deus. Ele sozinho é naturalmente e inteiramente e invariavelmente sábio.”

ONDE PODEMOS VER A SABEDORIA DE DEUS.

Primeiro, podemos ver a sabedoria de Deus na criação. O SENHOR, com sabedoria fundou a terra; com entendimento preparou os céus (Provérbios 3.19). Considere a variedade da criação. Ó SENHOR, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas (Salmo 104.24). Vemos uma infindável variedade de formas, cores, cheiros, sons, e configurações. Que artista extraordinário é Deus! Considere a beleza da criação. Tudo fez formoso em seu tempo (Eclesiastes 3.11).

Segundo, nós vemos a sabedoria de Deus no governo da Sua criação. Quando alguém pega um instrumento musical e toca uma linda melodia, isso reflete a sua habilidade de músico. Da mesma forma, quando contemplamos o que Deus fez na criação, vemos a Sua grande sabedoria. Embora pudéssemos mencionar uma gama de exemplos, vamos nos ater a coroa de Deus na criação, ou seja, o homem.

Deus sabiamente governa o homem como uma criatura racional. Ele nos deu Sua lei, a qual é santa e boa (Romanos 7. 12), perfeitamente adequada à singular natureza moral e racional do homem. Adão era capaz de obedecer esta lei. Era uma lei bem adequada à felicidade e benefício do homem. Toda a lei poderia ser resumida em uma só palavra: amor. A consciência do homem aprova esta lei. Deus em Sua sabedoria deu incentivos a quem guardá-la. Se o homem obedecesse esta lei, quão feliz seria o mundo. Além disso, Deus demonstrou a Sua sabedoria ao nos dar Sua revelação escrita a fim de nos guardar do erro. Para onde quer que olhemos, vemos a sabedoria de Deus em Seu governo sobre o homem, até mesmo na variedade de personalidades, habilidades, e condições econômicas da humanidade.

Deus sabiamente governa o homem como uma criatura ímpia. Embora o pecado seja em si mesmo um grande mal, com a tendência de destruir a glória de Deus, Ele o ordena e controla a fim de que o seu resultado culmine em um bem maior. Ele coloca limites em torno do pecado, para que a terra não se transforme em inferno. Certamente a cólera do homem redundará em teu louvor; o restante da cólera tu o restringirás (Salmo 76.10). Deus também faz uso da instrumentalidade do pecado. Ele faz com que os artifícios do diabo sejam usados contra ele mesmo. Deus o derrota com as suas próprias armas.

Deus sabiamente governa o homem como criatura redimida. Ele toma o lixo deste mundo e o transforma em vaso de honra.

Terceiro, nós vemos a sabedoria de Deus na redenção. Aqui encontramos sabedoria profunda, muito além daquela demonstrada na criação e providência. Colossenses 2.3 diz: Em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência. Esta sabedoria é oculta aos olhos do homem natural. Ela é chamada de sabedoria oculta em mistérios (I Coríntios 2.7).

Nem mesmo os anjos perceberam isso de antemão, Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus (Efésios 3.10). Esta sabedoria também é multiforme ou de muitas faces, ou seja, a união de vários conselhos em torno da maravilha da redenção.

A Sabedoria de Deus na Bíblia

Quando chega à sabedoria de Deus, uma figura vale mais do que mil palavras. Quando vemos algumas passagens das Escrituras que falam da sabedoria de Deus, iremos tentar aguçar a definição da sabedoria de Deus e mostrar sua relevância para nossas vidas diárias.

A Sabedoria de Deus em Cristo e Sua Igreja: Efésios 1 e 3

“Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra”

(Efésios 1.7-10)

“A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo, e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor, no qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele. Portanto, vos peço que não desfaleçais nas minhas tribulações por vós, que são a vossa glória” (Efésios 3.8-13)

A Sabedoria de Deus Revelada Através de Israel: Romanos 9-11

Deus prometeu à Abraão que nele, na sua semente, todas as nações da terra seriam abençoadas (Gênesis 12-1-3). Parece que isto aconteceria através da nação inteira, porém a história deixa claro que a nação não se submeteu a Deus e resistiria e se rebelaria persistentemente contra Deus. Não foi através da semente (plural) de Abraão que Deus trouxe a benção para o mundo, porém através da semente A sabedoria de Deus excede a sabedoria do homem e até a imaginação do homem. Deus realiza o que Ele prometeu em formas que nunca poderíamos imaginar ou mesmo acreditar se nos fosse dito antecipadamente. A sabedoria de Deus é vista em Seu relacionamento com a nação de Israel.

Sabedoria de Deus Revelada em Cristo para a Igreja: Efésios 1

Paulo indica em Efésios 1 o eterno propósito de Deus de somar (resumir) todas as coisas em Cristo. No Velho Testamento, a vinda de Jesus Cristo como o Messias prometido foi progressivamente revelado em grande detalhe.

Isto começou com a promessa de salvação do pecado e a derrota de Satanás pela semente de Eva em Gênesis 3.15. Foi mais totalmente revelado no pacto Abrâmico (Gênesis 12.1-3) e Davídico (2 Samuel 7.14). Nos Salmos (por exemplo Salmos 22) e através dos profetas (por exemplo Isaías 52.13-53.12), mais e mais foi dito sobre o Messias até Miquéias

A Sabedoria de Deus está Sendo Revelada Através da Igreja: Efésios 3

O propósito eterno de Deus é revelar Sua sabedoria para os seres celestiais assim como para a Sua igreja. Deus ainda está cumprindo o Seu propósito, o qual culminará com a segunda vinda de Seu Filho e o estabelecimento do Seu reino na terra. Quando este propósito e programa completar, o total objetivo da sabedoria de Deus terá sido revelado, e esta sabedoria será revelada de tal forma que proverá o combustível para o louvor a Deus por toda a eternidade.

O INSTRUMENTO QUE DEUS USA

Para fazer cumprir o seu propósito Deus tem os seus instrumentos. São pessoas que se entregam nas mãos do Senhor e não têm a sua vida por preciosa. Deus hoje procura tais que aceitem o que Deus quer através de suas vidas. Na história dos homens de Deus, muitos que não tinham nenhum valor para o mundo foram instrumentos poderosos nas mãos suas mãos (Hb 11.38).

Ef 3.10 = “para que, pela Igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais...”.

Neste versículo nos impressionamos ao ler que o incompreensível pode agora ser revelado não somente aos homens, mas até mesmo aos anjos e demônios. Por incrível que pareça, nós, como igreja de Deus, somos a expressão da multiforme sabedoria de Deus. Os anjos aprendem mais de Deus quando observam eu e você, a Igreja de Cristo na terra. O grande mistério de Deus que outrora esteve oculto, agora é revelado ao mundo e aos anjos por meio de Sua Igreja na terra.

Sabemos que o incompreensível não pode revelar-se em conceitos, mas pode revelar-se através da verdade na expressão da imagem e semelhança de Deus – você. A nossa verdade-identidade foi restaurada com a vinda de Deus a nós. Ela havia se perdido no jardim do Éden quando erigimos uma barreira de pecado entre nós e Deus, mas Cristo veio para rasgar o véu da separação e destruir a barreira do pecado para que de novo pudéssemos chegar a Deus e nEle viver. Então tivemos a chance de recuperar o nosso verdadeiro “eu”. Basta que aceitemos ser aceitos pela graça de Deus para que esta restauração da nossa verdade-identidade aconteça.

Há algo de Deus em você que ninguém mais pode revelar ao mundo, porque você é único, imagem e semelhança de Deus, você carrega o fôlego de vida do Criador. Cada um de nó tem sua forma de revelar o Deus que vive para além do universo criado por Ele, mas que também vive em nó, que igualmente somos feitura dEle.

CARACTERÍSTICAS DOS DESPENSEIROS PROCLAMADORES DA MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS.

O termo despenseiro, usado por Paulo em I Co. 4.1, é “oikonomos”. O despenseiro, nos tempos antigos, era o administrador dos afazeres do lar. Era uma espécie de mordomo ou superintendente (nascido livre ou, como era geralmente o caso, um liberto ou um escravo) para quem o chefe da casa ou proprietário tinha confiado a administração dos seus trabalhos, obreiros – servos de Deus – têm no ministério eclesiástico. Não há maiores nem menos, e aqui vale lembrar os partidarismos, nem Pedro, Paulo ou Apolo. Todos não passam de servos – iakonos no grego – que labutam em obediência a fim de que a igreja, família e construção de Deus possam ser edificadas.

DONS QUE MANIFESTAM A SABEDORIA DE DEUS.

A partir de um entendimento superficial e literal do tema proposto, poderíamos afirmar que todos os dons manifestam a sabedoria e o poder de Deus. Dom da Palavra da Sabedoria, Dom da Palavra da Ciência ou Conhecimento e o Dom de discernimento de espíritos.

Os dons de revelação são classificados dentro dessa terminologia porque estão relacionados ao conhecimento. Mas tal ciência não depende de atributos meramente humanos, ditos naturais, mas de Deus, que sobrenaturalmente, descortina o desconhecido.

FUNÇÃO DESSES DONS

Conhecer sobrenaturalmente. A utilidade dessa categoria de dons se prende: ao governo e à administração (Gen. 41.33-39); à criatividade Ex. 31.1-6); ao comando; a julgamentos (1 Rs 3.16-28); a esclarecimentos de dúvidas (Jó 33.33), à elucidação de enigmas (Dt.1.17).

Também está para revelar sobrenaturalmente as riquezas encobertas (Is 45.3), que estão em Cristo (Cl 2.3).Essa categoria de dons é uma arma contra as heresias (Ef. 4.12, 14); revela o que está oculto aos olhos do homem (I Sm 16.7; Jo 1.47, 48; 1.24, 25; 4.16, 18).

São dados pelo Espírito Santo para que as pessoas revelem mistérios ocultos aos homens, coma tomada de atitudes e condutas que evidenciem que Deus sabe todas as coisas e que nada lhe fica oculto. São evidências da onisciência divina no meio do Seu povo.

A PALAVRA DA SABEDORIA

– Este não é o dom de sabedoria em geral, mas o dom de uma “palavra de sabedoria”. Todavia, em si mesmo, não necessariamente um dom vocal.

“Palavra” (logos) é definida como “conceito”, “ideia”, “ditado”, “assunto em pauta”, “razão”, “narrativa” ou “doutrina”. Se a ideia de “pronunciamento” estivesse em foco, a palavra grega rhema teria sido provavelmente usada em vez de logos.

PALAVRA DA CIÊNCIA OU DO CONHECIMENTO

– Este dom de uma palavra do conhecimento pode estar contido na declaração de Paulo em I Co 1.15: “... porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda palavra e em todo conhecimento...”

Se a “palavra de sabedoria” dá percepção à igreja para uma ação prática, a “palavra do conhecimento” deve trazer à luz os princípios da doutrina que formam a base para essa ação. Este dom pode levar a verdade bíblica a atenção da igreja, ou revelar fatos necessários para nova ação. Paulo estava seguro de que o conhecimento espiritual operava na igreja quando disse: “E certo estou, meus irmãos, sim, eu mesmo, a vosso respeito, de que estais possuídos de bondade, cheios de todo o conhecimento, aptos para vos admoestardes uns aos outros” (Rm 15.14).

DOM DE DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS

– “Discernimento de espíritos” vem do grego diakriseis pneumaton. O termo grego deakreisis é definido como “discernir”, “discriminar” ou “distinguir”. A forma verbal é usada em Hebreus 5.14: “Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal”. Paulo emprega várias vezes o verbo em I Corintios; em 6.5 ele emprega para indagar se eles não tinham ninguém“ que possa julgar no meio da irmandade ?” (quando a quem tinha razão).

CONCLUSÃO.

Deus é a fonte de sabedoria:

“Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento”.
(Provérbios 2.6)

“Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força;”
(Daniel 2.20)

 “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e não o lança em rosto, e ser-lhe-á dada”.
(Tiago 1.5)

Deus ainda está no trono. Seu propósito certo e seguramente está sendo realizado; e está sendo realizado também em nós e por meio de nós, que somos verdadeiramente membros da Igreja, verdadeiramente membros do corpo de Cristo. Esse corpo de Cristo tem o grande privilégio de ser o porta voz que dá a conhecer ao mundo material e espiritual qual é a MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS.

--------------------------------

Revdº Adaylton de Almeida Conceição (Th.B.Th.M.Th.D)

www.adayltonalm.spaceblog.com.br