Pesquisar este blog

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Dois Lados de uma Mesma Moeda

Os sinais que aterrorizam os incrédulos trazem conforto aos corações do povo de Deus.

O julgamento de Deus sobre o pecado é tão certo quanto a morte e os impostos! E todos os que estão sob sua condenação enfrentam a punição eterna, acreditem eles ou não. Muitos são como o menino que "assobia enquanto caminha pelo cemitério" — tentando desesperadamente se convencer de uma bravata inexistente. Com algum nível de consciência, todos os homens em toda a parte têm um senso de responsabilidade por suas ações. Assim, mesmo que isso envolva somente algo como seguir um ritual supersticioso para conferir "boa sorte", eles tentarão colocar as probabilidades a seu favor. Bem no fundo sabem que o desastre está escondido atrás de algum canto, mas na maior parte do tempo recusam-se a lidar com ele.

Essa incapacidade de confrontar a realidade é a razão principal por que tantos recorrem às drogas, ao álcool, ao sexo, etc., como modo de fuga. A vida é mais do que eles podem lidar e qualquer modo de se "sentir bem" — independente de quão passageiro — é buscado com sofreguidão. Logicamente, nenhum deles compreende a base espiritual para esse comportamento e, por causa disso, muitas coisas fora do controle deles farão um estouro como o de uma boiada. Logicamente, Satanás está bem ciente dessa tendência humana e a utiliza com freqüência para mover as massas de pessoas para fazerem a sua vontade.

Mas, por mais incompreensível que seja para os incrédulos, em toda a história Deus usou (e continua a usar) tais coisas para trazer julgamento sobre os indivíduos e sobre as nações — calamidades em que Seus próprios santos sofrem junto com os ímpios! Esse princípio inegável da Palavra de Deus é algo que precisa ser enfatizado hoje, mas está sendo ignorado pelos pastores, que deveriam saber melhor. Eles estão tão consumidos com a preocupação de encher os bancos que as nuvens escuras no céu não estão sendo observadas. Há uma necessidade desesperadora para que o alarme seja soado e, com a ajuda de Deus, queremos alertar tantas pessoas quantas estiverem dentro de nossas possibilidades. O arrebatamento da igreja é uma perspectiva abençoada, mas de modo algum significa que todos seremos poupados da perseguição e até mesmo da morte neste ínterim. O Período da Tribulação será o julgamento de Deus sobre a nação de Israel em particular, e sobre o restante do mundo em geral. Mas enquanto a humanidade aguarda essa hora fatídica, a retribuição continuará a ser aplicada sempre que for necessária para garantir que o plano divino seja realizado. Portanto, todos precisamos nos despertar e perceber que algumas vezes "danos colaterais" de tais ocorrências incluirão o povo de Deus.

Quando coisas más acontecem, precisamos nos lembrar da preciosa verdade que "... todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." [Romanos 8:28] Sim, cristão, quando a enfermidade, a doença, a guerra, os furacões, terremotos e outros desastres destroem nosso patrimônio terrestre e tiram vidas que são preciosas para nós, é para nosso bem final. No longo prazo aquilo nos tornará mais fortes. Deus ou causa ou permite que essas coisas ocorram e algumas vezes o julgamento está envolvido — se não sobre nós diretamente, sobre nossos vizinhos e sobre nossa nação.

Em um de seus salmos, Davi expressa a verdade que quando oramos, a resposta de Deus algumas vezes envolve coisas tremendas e gloriosas:
"Com coisas tremendas em justiça nos responderás, ó Deus da nossa salvação; tu és a esperança de todas as extremidades da terra, e daqueles que estão longe sobre o mar. O que pela sua força consolida os montes, cingido de fortaleza; o que aplaca o ruído dos mares, o ruído das suas ondas, e o tumulto dos povos. E os que habitam nos fins da terra temem os teus sinais; tu fazes alegres as saídas da manhã e da tarde." [Salmos 65:5-8].

Até os confins da Terra, todos os seres humanos estão confrontados pelos sinais do poder de Deus e de sua presença na natureza. Os terremotos, furacões, tufões e tornados põem terror nos corações dos homens por causa de seus poderes destrutivos. Mas após o sol sair detrás das nuvens e a poeira assentar, o povo de Deus ainda o louvará em meio às lágrimas. Como disse o patriarca Jó:
"Ainda que ele me mate, nele esperarei." [Jó 13:15a].

Tal comportamento por parte dos cristãos é um poderoso testemunho para aqueles que "não têm esperança" [1 Tessalonicenses 4:13] e é algo que traz glória ao nosso Senhor e Salvador.

Outro aspecto do julgamento tem sido considerado a "desumanidade do homem para com o homem". A crueldade dos homens contra seu próprio gênero humano tem sido freqüentemente usada por Deus para julgar os indivíduos e nações inteiras. Os atos de guerra continuam a ser uma praga e milhões em todo o mundo morrem desnecessariamente à medida que religiões, ideologias, e déspotas lutam por supremacia em choques de interesses e busca por poder. Muitos jovens americanos estão atualmente derramando seu sangue no Afeganistão e no Iraque alegadamente para "proteger as liberdades da América", mas a história revela que essas intrusões são cortinas de fumaça para promover agendas desconhecidas do público em geral. Mas, em qualquer caso, estejam elas travando uma batalha nas trincheiras ou em uma escala menor em suas vizinhanças — as pessoas continuarão a sofrer e a morrer por que esse é o legado da depravação humana! Quando esse legado nos tocará pessoalmente e qual será o resultado é algo conhecido somente por Deus. Mas, cedo ou tarde ele virá. Para alguns de nós será a perseguição por parte daqueles que discordam de nossas crenças. Na epístola aos filipenses, o apóstolo Paulo falou sobre essa perseguição e como devemos reagir diante dela:
"E em nada vos espanteis dos que resistem, o que para eles, na verdade, é indício de perdição, mas para vós de salvação, e isto de Deus. Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele." [Filipenses 1:28-29; ênfase adicionada].

O mesmo sol que derrete o gelo faz endurecer o barro. Como indica o título deste artigo, existem dois lados em uma moeda. Os desastres que aterrorizam os incrédulos evocarão o louvor dos crentes — mesmo que seja no meio do sofrimento — por que conhecemos e amamos aquele que faz tudo acontecer. Submeter um filho a um procedimento médico doloroso nunca é agradável para um pai, mas algumas vezes é necessário. Como filhos de Deus, sempre precisamos estar mental e espiritualmente preparados para aceitar tudo aquilo que Deus considerar necessário para o momento. Então, quando mantemos nosso testemunho para Cristo a despeito das circunstâncias, honra e glória são creditados a ele. Tal firmeza diante da perseguição e das aflições — como demonstrado pelos mártires cristãos do passado — é claramente sobrenatural em sua origem, pois transcende a natureza humana. Nosso Deus estende Sua graça na hora da provação e sustenta aqueles que Lhe pertencem, de modo que podemos encarar o futuro com confiança. Além disso, a passagem em Filipenses nos diz que a intrepidez diante da perseguição é um claro sinal para os incrédulos de que sua destruição está próxima! Eles podem nos causar muitos sofrimentos, e até tirar nossas vidas, mas não podem nos privar da nossa morada eterna com o Senhor Jesus Cristo. E a perversidade deles contra nós será vingada em um nível infinitamente maior do que nós mesmos poderíamos fazer por nossa própria conta.

"Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra." [Mateus 5:38-39].

"Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor. Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça." [Romanos 12:19-20; ênfase adicionada].

Em outras palavras, o modo de Deus de "acertar contas" com aqueles que nos maltratam é que repaguemos o mal com o bem! Quando respondemos dessa maneira totalmente inesperada, existe uma forte probabilidade de que a consciência do adversário arderá como se tivesse brasas em cima da cabeça". No final, a vingança de Deus sobre aqueles que recusam-se a se arrepender será executada por tormento eterno no lago de fogo [Apocalipse 19:20] e seguindo Suas instruções, aumentamos o nível dessa punição.

Portanto, nunca se desespere, "porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo." [1 João 4:4]. O Espírito Santo de Deus literalmente habita em nós — ele nos possui como seus filhos — e seu poder é infinitamente maior do que o "do espírito que agora opera nos filhos da desobediência." [Efésios 2:2b].

Podemos e devemos encarar o futuro sem receio do que o homem possa fazer contra nós por que Jesus já nos garantiu nossa vitória final! O espectro da morte aterroriza os incrédulos, mas de um modo que eles não podem compreender — sinaliza o dia da formatura para nós. A morte física é apenas uma transição de uma esfera de realidade para outra e a perspectiva gloriosa para o cristão é que naquele exato momento, nosso espírito passará para a presença eterna e o conforto do Senhor. Então, no arrebatamento da igreja, nosso espírito será reunido com um corpo glorificado — semelhante ao que tem agora nosso Salvador.

"Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos." [1 João 3:2; ênfase adicionada].

Logicamente, para aqueles que ainda estiverem vivos naquele tempo, o arrebatamento envolverá uma remoção instantânea da Terra — e o corpo físico será transformado e glorificado. [1 Coríntios 15:52]. Assim, a bendita esperança de Tito 2:13 é nosso retorno triunfante à Terra com Jesus Cristo — o Rei dos reis e Senhor dos senhores. [Apocalipse 19:16]. Temer a morte? Você pode imaginar alguma razão por que deveríamos?

Autor: Pr. Ron Riffe