Pesquisar este blog

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Vales do Mundo Bíblico

Vales

"Por que a terra que passais a possuir não é como terra do Egito, da onde saístes, em que semeáveis a vossa semente, com o pé, e que regáveis como a uma horta, mas a terra que passais a possuir, é terra de montes e de vales: da chuva dos céus beberás as águas" - Deuteronômio 110-11.

Na palestina a chuva cai somente durante certo período do ano, a paisagem é recortada por muitos vales estreitos e leitos de riachos que só possuem água durante as estações chuvosas. Alguns rios que atravessam vales e planícies mais largos, ou então cortam gargantas estreitas através das rochas.

Os vales são depressões alongadas entre montes ou quaisquer outras superfícies. E assim como com as planícies não vamos poder estudar aqui todos os vales da palestina, mas somente os principais.


Vale do Jordão

O Vale do Jordão (em árabe: الغور Al-Ghor ou Al-Ghawr) é uma longa depressão que se estende por Israel, Jordânia, Cisjordânia e chega ao sopé dos Montes Golan. Na região encontram-se o rio Jordão, o Vale de Hula, o Lago de Tiberíades e o Mar Morto, o local de menor altitude da Terra.

É rico em patrimônio natural de interesse para a paleogeografia. Constitui a região agrícola mais fértil de Israel e Jordânia.

Cobre entre 1640 e 2500 km² (consoante o critério para a sua definição) e abriga 52 132 habitantes (2005) apenas do lado de Israel e mais de 85 000 do lado jordano, a maior parte deles agricultores. Uma parte da vertente oriental é controlada por Israel, e a outra pela Jordânia.

No vale situa-se cerca de um terço da área da Cisjordânia.

Este é o maior vale de Israel, começa no pé do monte Hermom e vai até o mar morto, ele é cortado longitudinalmente pelo rio Jordão. Constitui-se em uma grande fenda geológica, em seu ponto inicial, o poço é de largura de 100 m, e alargando-se pouco a pouco chega ao mar da Galiléia com 3 km de largura e do mar morto com 15 km, mas depois dele passa a estreitar se novamente. Este é o vale mais profundo da terra, chega a alcançar 426 m abaixo do nível do mar. Ele nunca foi uma barreira intransponível para invasores, somente dificultava um pouco a comunicação entre as suas margens.


Vale de Jezreel

Etimologia

O Vale de Jizreel leva este nome da antiga cidade de Jizreel (conhecida em Árabe como Zir'in; em Árabe: زرعين‎) que estava localizada em uma pequena colina com vista para a margem sul do vale, embora alguns estudantes pensam que o nome da cidade originou-se do nome do clã que a fundou cuja existência é contada na Estela de Merenptah.

Começa nas nascentes do ribeiro de Jalud e finda no vale do Jordão perto de Bete-Seba. Nas proximidades deste vale localiza-se a moderna cidade de Zerim.

Na imagem acima, panorâmica do Vale de Jezreel visto do Monte Tabor, que marca o limite norte dessa pequena planície. O Vale de Jezreel é muito importante para a economia de Israel, com grande parte de sua produção agrícola vindo da suas numerosas fazendas coletivas (moshavim e kibutzim).

Vale de Acor

Foi aqui que aconteceu o apedrejamento de Acã (Josué 7.24-26), Neste vale localizado entre as terras de Judá e Benjamin, ficavam as fortalezas de Midim, Secacá e Nibsam.

Vale de Aijalom

Foi neste vale que aconteceu um dos maiores milagres da Bíblia, onde, por uma ordem de Josué, o sol deteve-se sobre os amorreus, possibilitando vitória aos israelitas. Localiza-se perto de Sefelá, a 24 km a noroeste de Jerusalém.

Possui 18 km de comprimento e 9 de largura, no ano 70 este vale abrigou as tropas romanas comandadas pelo general Tito, deste vale os romanos saíram para destruir Jerusalém e o templo. Atualmente localiza-se neste vale a importante cidade industrial de Yalo.

Vale de Escol

Escol em hebraico significa cacho. É uma região fértil e abundante em vinhas. Os espias enviados por Moisés atravessaram este vale e cortaram dele os enormes cachos de uvas que foram trazidos atravessados em uma vara. Ainda hoje ele continua famoso pela fertilidade de seu solo, e rende muitas divisas a Israel com a produção de: uvas, romãs e figos.

Vale de Hebrom

Este vale tem muito a ver com a história do patriarca Abraão, neste vale foi que Abraão morou por um determinado tempo, construiu um altar, recebeu a promessa de que teria um filho, e intercedeu pelos sodomitas; lá também estão os sepulcros de sua família. Localiza-se a 30 km a sudoeste de Jerusalém, e ao contrário do vale do Jordão, este está a quase 1000 m acima do nível do mar, possui 30 km de comprimento e guarda muitas lembranças da era patriarcal.

Vale de Sidim

Neste vale localizado ao sul do Mar Morto ficavam as cidades de Sodoma e Gomorra. Foi neste vale que Abraão defendeu os reis locais atacados pelos reis do norte. Nesta região haviam muitos poços de betume, (Gênesis 14.3-8). Recentemente escavações arqueológicas acharam no vale de Sidim, vestígios de antipatiquíssimas cidades, que foram destruídas pelo que parece ser o de uma grande explosão, e assim, mais uma vez a veracidade das Sagradas Escrituras é comprovada pela ciência, mais exatamente por pesquisadores que trabalham de modo sério e imparcial.

Atualmente este vale é inóspito, mas nos tempos de Ló, era bastante fértil. Calcula-se que tais poços de betume e petróleo tenham explodido por algum motivo, que sabemos ser fruto de uma decisão divina. Além do que a região de Sodoma e Gomorra possuía enormes quantidades de sal e enxofre, que misturados tornam-se explosivos.

Tal explosão foi tão violenta que choveu fogo, enxofre e sal sobre toda planície - Gênesis 19.24-28. A mulher de Ló, pode ter sido transformada numa estátua de sal certamente por causa da grande quantidade de sal que se precipitou por todo o vale.

Vale de Siquém

O poço de Jacó se localiza nesse vale, onde Jesus falou com a mulher Samaritana, e deste diálogo resultou a conversão de muitos samaritanos. Ele localiza-se entre os montes Gerizim e Ebal no centro de Israel, e lá hoje se encontra a moderna cidade de Nablus. O seu nome em hebraico significa "ombro".

Vale de Basam

Este é o vale por onde corre o Rio Yamurque no nordeste da Palestina.

Vale de Moabe

Dos três vales que desembocam na planície de Moabe, este é o maior. Localiza-se a nordeste do mar morto. Quando do Êxodo, os moabitas (filhos de Ló), tentaram impedir o avanço dos hebreus, em consequência disso o Senhor determinou - "Nenhum amonita nem moabita entrará na congregação do Senhor, nem ainda a sua décima geração entrará na congregação do senhor eternamente. Porquanto não saíram com pão e água para vos receber no caminho, quando saíeis do Egito; e porquanto alugaram contra ti a Balaão, filho de Beor, de Petor da Mesopotâmia, para te amaldiçoar" Deuteronômio 23.3-4.

Foi neste vale que Moisés morreu, mais antes teve o privilégio de avistar a terra de Canaã. Rute era moabita e a misericórdia a alcançou, pois esta mulher virtuosa foi uma das ancestrais do Senhor Jesus Cristo. Nesta região foi achada a famosa pedra moabita, uma pedra de basalto negro encontrada em 1868 nas ruínas de Dibom na antiga cidade moabita; depois da Bíblia, este é o maior documento encontrado até hoje que trata da Palestina antes de Cristo, a pedra dá um relato da guerra de Mesa rei de Moabe contra Onri, Acabe e outros reis de Israel. (Veja os estudos de Arqueologia do Texto Bíblico).