Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

VIVER A SEXUALIDADE

A sexualidade afeta todo o ser, toda vida de uma pessoa, pois o ser humano é sexuado. A sexualidade é uma dimensão intrínseca da pessoa humana, não se pode prescindir da sexualidade.
Por outro lado, a própria experiência mostra como o modo de viver a sexualidade afeta todo o ser e a forma de agir. A forma de assumir a sexualidade afeta o corpo, as emoções, os sentimentos mais íntimos, as relações interpessoais, a maneira de ver a vida, o mundo, em definitivo, a felicidade. Sexualidade e felicidade estão intimamente relacionados.
Hoje em dia, o ser humano assume a sexualidade sem tê-la pensado, sem realizar uma decisão baseada na reflexão. A sociedade leva o ser humano, de uma maneira automática, a viver a sexualidade aprendendo por osmose. Ao deixar a infância, o ser humano incorpora à sua vida a função sexual tal qual a percebe ao seu redor.
Sexo e Sexualidade.
Certamente, o sexo desperta mais interesse, e ao mesmo tempo, mais confusão do que qualquer outro aspecto da vida humana.
Em nível puramente biológico, o sexo é um mecanismo mediante o qual os humanos, tal como qualquer outra espécie animal e vegetal evolucionada, se reproduzem. O processo consiste em levar a célula reprodutiva masculina (espermatozóide) até a célula reprodutora feminina (o óvulo) o qual fecundada.
O conceito se sexualidade: É a capacidade de expressar sentimentos e emoções profundas como o amor que enriquece o espírito e condiciona muitos aspectos do comportamento afetivo do individuo. A função sexual não é outra coisa que a integração harmônica do sexo (puramente biológico) com a sexualidade (que se manifesta mediante a atitude psicológica frente ao sexo e implica, ao mesmo tempo, a expressão de sentimentos).
Enquanto que a sexualidade se limita exclusivamente aos órgãos genitais, é uma resposta instintiva e tende à repetição, a sensualidade abre uma gama ampla de possibilidades que junto com o despertar da imaginação logra inovadores efeitos em quem sabe como utilizá-la.
Algumas pessoas costumam atribuir a sensualidade à mulher e a sexualidade ao homem. Porém, a verdade é que ambos têm uma um pouco de cada uma delas em sua personalidade, tal como os dois compartilham o masculino e o feminino no seu ser.
A sensualidade, longe de ser um simples instinto, é algo que se aprende, na maioria das vezes, por imitação. Porém, para poder ser sensual necessita estar em harmonia com teu interior, ter confiança em si mesmo e sentir-te bem com tua forma de ser.
A sensualidade é uma postura diante da vida e uma forma de nos relacionarmos com os demais em todos os aspectos, não necessariamente buscando um encontro sexual. O interessante é que qualquer pessoa pode ser sensual caso se proponha. A única coisa que necessita é ter sua auto-estima alta e saber expressar-se através dos sentidos de maneira certa. Com estas duas ferramentas, provocarás reações nas pessoas que te rodeiam.
Despertando o desejo.
Uma pessoa sensual é aquela que provoca atração ou reação nos sentidos de outra. Porém, para cativar a tua companheira ou companheiro não só é necessário que saibas utilizar teus sentidos, também deves ter em conta outros aspectos de tua pessoa que conformam o conceito de sensualidade: tua forma de ser, de vestir-te, falar e mover-te.
Tua forma de ser denota quem realmente é e de onde provém. É importante que aprenda a conhecer-te e logres confiança em ti mesmo para chegar a ser uma pessoa sensual.
Saber mover-se é toda uma arte. Se teus gestos são bruscos são e secos, seguramente inspirarás mais apatia e torpeza que amor.
Não esqueça que tua imagem exterior é a primeira coisa que as pessoas vêem e quão interessante seja tua maneira de ser, o que diga, ou tua forma de vestir: se não combinas este conjunto de coisas com os gestos adequados, nunca despertarás a curiosidade nos demais.

Prof. Dr. Adaylton de Almeida Conceição (Psicanalista-Sexólogo)