Pesquisar este blog

quinta-feira, 18 de maio de 2017

ABIGAIL: UM CARÁTER CONCILIADOR



ABIGAIL: UM CARÁTER CONCILIADOR

Pr. Adaylton de Almeida Conceição

Há pessoas que são especialistas em construir muros: vivem erguendo barreiras entre aqueles com os quais convivem, trabalham, estudam, congregam. Fazem isto promovendo discórdias, semeando contendas, espalhando fofocas, denegrindo a imagem de outro, inventando histórias. Não é sem razão que, de um modo geral, tantas crises façam parte das relações humanas. Mas hoje vamos ler sobre uma mulher que era especialista em construir pontes. O seu nome? Abigail. Além de linda, ela era sábia e usou essa sabedoria para construir uma ponte entre Davi e Nabal, o seu marido.

“E havia um homem em Maom, que tinha as suas possessões no Carmelo; e era este homem muito poderoso, e tinha três mil ovelhas e mil cabras; e estava tosquiando as suas ovelhas no Carmelo. E era o nome deste homem Nabal, e o nome de sua mulher Abigail; e era a mulher de bom entendimento e formosa; porém o homem era duro, e maligno nas obras, e era da casa de Calebe.” (I Samuel 25.2,3)

A Bíblia retrata Abigail como uma mulher de bom entendimento e formosa, ou seja, dotada de sabedoria e beleza. Ela casou com um homem que apesar de ser da geração de Calebe, era duro e maligno nas coisas que fazia. Com certeza, por causa da sabedoria, conseguia conviver com Nabal, um marido tolo, que não levava em consideração preservar o legado de Calebe, homem honrado em Israel.

Logo depois do sepultamento de Samuel, Davi partiu e desceu de Parã, região desértica e inóspita. Desse lugar, soube que Nabal estava cortando a lã das suas ovelhas, num vilarejo chamado Carmelo. Esse pecuarista, extremamente poderoso e próspero, descendente do famoso Calebe, era casado com Abigail, uma mulher muito linda e muito gentil. O tempo da tosquia era um tempo de mostrar hospitalidade e generosidade, quando os envolvidos eram servidos com muita comida e bebida. Sendo assim, esta era a ocasião certa para Davi pedir uma ajuda a Nabal. Foi o que fez. Enviou a Nabal dez homens, com o objetivo de solicitar-lhe ajuda material para suprir as necessidades daqueles que o acompanhavam.

I Samuel 25.5 "Enviou dez moços e lhes disse [Ele esperava trazer muito de volta], Subi ao Carmelo, ide a Nabal, perguntai-lhe, em meu nome, como está. Davi era um herói de Israel, mesmo que estivesse fugindo naqueles dias, e foram os seus homens que guardaram os rebanhos de Nabal, então David disse, 'Eu quero que vocês lhes digam que é Davi quem os está enviando’ Isto certamente abrirá portas.

A recusa estúpida:

Ao chegarem à presença de Nabal, os homens enviados fizeram uma abordagem altamente diplomática, civilizada e conveniente. Fizeram exatamente conforme a orientação de Davi. Não se utilizaram, em tempo algum, de mecanismos chantagistas ou ameaçadores para extorquir dinheiro e favores de Nabal. Eles simplesmente disseram: "dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, qualquer coisa que tiveres à mão" (I Sm 25.8b). Assim que deram este recado, sentaram-se e aguardaram a resposta. Eles devem ter imaginado uma resposta igualmente educada e bondosa. Nabal, porém, respondeu aos polidos mensageiros de Davi de maneira altamente grosseria e insultuosa. Apesar de possuir um nome com significado negativo – Nabal significa estupidez e insensatez –, aquele homem poderia ter reagido de maneira positiva e agradecida, oferecendo sua bebida e sua comida àqueles homens.

Vejamos o que ocorre quando chegamos ao verso 9: Chegando, pois, os moços de Davi e tendo falado a Nabal todas essas palavras em nome de Davi, aguardaram. [Para ver se as portas se abririam por causa do nome de Davi] Respondeu Nabal aos moços de Davi e disse: Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos são hoje em dia, os servos que fogem ao seu senhor. Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores e o daria a homens que eu não sei donde vêm?

Sem nada mais a fazer, diante do pedido negado por Nabal, os homens voltaram a Davi. “Então os moços de Davi puseram-se a caminho e voltaram, e chegando, lhe anunciaram tudo conforme a todas estas palavras. Por isso disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e cingiu também Davi a sua; e subiram após Davi uns quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem.” (I Samuel 25.12,13)

Assim Nabal faz alusão a este tipo de gente que está no bando de Davi andando de um lado para o outro. Por que? Porque fazendo qualquer favor para Davi, Nabal estaria em grandes apuros com Saul. E Nabal escolheu o lado mais favorável aos seus olhos espertos. Mas ele escolheu a quem Deus rejeitou e rejeitou a quem Deus escolheu, e esta é uma péssima decisão.

Tomando conhecimento dos fatos

Chegou ao ouvido de Abigail os maus tratos de Nabal e a forma infeliz como se dirigiu aos servos de Davi. “Porém um dentre os moços o anunciou a Abigail, mulher de Nabal, dizendo: Eis que Davi enviou mensageiros desde o deserto a saudar o nosso amo; porém ele os destratou. Todavia, aqueles homens têm-nos sido muito bons, e nunca fomos agravados por eles, e nada nos faltou em todos os dias que convivemos com eles quando estavam no campo. De muro em redor nos serviram, assim de dia como de noite, todos os dias que andamos com eles apascentando as ovelhas. Considera, pois, agora, e vê o que hás de fazer, porque o mal já está de todo determinado contra o nosso amo e contra toda a sua casa, e ele é um homem vil, que não há quem lhe possa falar.” (I Samuel 25.14-17)

Abigail, quando tomou conhecimento dos fatos, ficou preocupada com a sua casa e com os seus. Ela sabia que dessa vez Nabal havia ido longe demais e colocado em risco a vida dele, a vida dela, da família e de todos os criados que os serviam.

Avisada por um servo que sabia o quanto o momento que viviam era delicado e que sabia também o quanto sua senhora era equilibrada e dotada de sabedoria, Abigail precisava tomar uma providência que resultasse em livramento para todos e que beneficiasse ambas as partes.

Conhecendo muito bem o marido que tinha, Abigail sabia de toda a sua impetuosidade e intolerância. Então, decidiu ter uma atitude contrária à insensatez de Nabal e imediatamente agiu com sabedoria, tolerância e sensatez.

O momento inspirava cuidado, pois a sua missão era salvar vidas e não destruí-las. Qualquer gesto ou qualquer fala fora de lugar poria tudo a perder. Mas, além de bela, Abigail era muito sábia. O seu gesto de enviar a sua frente algo para Davi e sua gente comerem e beberem serviria para apaziguar aqueles homens dominados pela cólera e pela amargura. Assim que os servos dela foram, Abigail partiu, em cima do seu animal. "De repente, numa curva, na descida, encontrou Davi e os seus homens, que vinham na sua direção" (I Sm 25.20). 

De novo, Abigail se mostrou sábia. Tão logo viu Davi, desceu do animal, prostrou-se com o rosto em terra e pediu uma chance para lhe falar. Primeiramente, Abigail pediu perdão a Davi: "Ah! Senhor meu, caia a culpa sobre mim (...) eu, porém, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste" (I Sm 25.24a, 25b). A seguir, Abigail pediu a Davi que deixasse seus inimigos com o Senhor, que os jogaria longe, "como um homem que atira pedras com a sua funda" (I Sm 25:29b). Depois, após afirmar que, no tempo certo, o Senhor poria Davi no trono de Israel, Abigail frisou: "E, quando isso acontecer, o senhor não terá motivo para se arrepender, ou sentir remorso por haver matado sem razão, ou por ter se vingado por si mesmo" (I Sm 25.31a).

Agindo em favor da sua casa

Algumas guerras vencemos pela força do braço, outras não precisamos de força, apenas de sabedoria e de uma direção em Deus. Abigail sabia que estava enfrentando uma crise, e toda crise precisa da intervenção divina e da ação do homem.

Há pessoas que recriminam a atitude de Abigail e julgam que o fato dela ter agido sem o conhecimento de Nabal revela uma mulher que não era submissa ao marido. Eu discordo! Afinal, que mulher sensata não tomaria providências diante de um grande erro cometido pelo marido?

Abigail saiu em busca de livramento para evitar uma catástrofe, como podemos ler no texto de I Samuel 25.20-22. “E sucedeu que, andando ela montada num jumento, desceu pelo encoberto do monte, e eis que Davi e os seus homens lhe vinham ao encontro, e ela encontrou-se com eles. E disse Davi: Na verdade que em vão tenho guardado tudo quanto este tem no deserto, e nada lhe faltou de tudo quanto tem, e ele me pagou mal por bem. Assim faça Deus aos inimigos de Davi, e outro tanto, se eu deixar até amanhã de tudo o que tem, até mesmo um menino.”

Davi estava decidido a destruir totalmente Nabal e tudo o que ele tinha. Podemos ver nas entrelinhas toda a ira de Davi. Mas uma mulher sensata e sábia, quando tem oportunidade para agir em favor da sua casa, não medirá esforços para evitar que o mal alcance a sua casa, sua família e todos os que ama.

Encontrando favor diante de Davi

“Então Davi disse a Abigail: Bendito o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro. E bendito o teu conselho, e bendita tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão. Porque, na verdade, vive o Senhor Deus de Israel, que me impediu de que te fizesse mal, que se tu não te apressaras, e não me

vieras ao encontro, não ficaria a Nabal até a luz da manhã nem mesmo um menino. Então Davi tomou da sua mão o que tinha trazido, e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; vês aqui que tenho dado ouvidos à tua voz, e tenho aceitado a tua face.” (I Samuel 25.32-35)

Davi reconheceu que a atitude de sabedoria de Abigail aplacou a ira dele e disse que o Senhor Deus de Israel era quem havia enviado aquela mulher ao seu encontro. É lindo vê-lo dizer que por Abigail ser uma mulher abençoada, seu conselho também era abençoado.

A atitude de intercessão de Abigail evitou o derramamento de sangue. E a Bíblia diz que Davi recebeu das mãos dela tudo que tinha trazido, como confirmação de que ela poderia voltar em paz à sua casa, porque o seu pedido fora aceito.

A morte de Nabal e a restituição de Abigail

“E aconteceu que, passados quase dez dias, feriu o Senhor a Nabal, e este morreu. E, ouvindo Davi que Nabal morrera, disse: Bendito seja o Senhor, que julgou a causa de minha afronta recebida da mão de Nabal, e deteve a seu servo do mal, fazendo o Senhor tornar o mal de Nabal sobre a sua cabeça. E mandou Davi falar a Abigail, para tomá-la por sua mulher. Vindo, pois, os criados de Davi a Abigail, no Carmelo, lhe falaram, dizendo: Davi nos tem mandado a ti, para te tomar por sua mulher. Então ela se levantou, e se inclinou com o rosto em terra, e disse: Eis que a tua serva servirá de criada para lavar os pés dos criados de meu senhor.

E Abigail se apressou, e se levantou, e montou num jumento com as suas cinco moças que seguiam as suas pisadas; e ela seguiu os mensageiros de Davi, e foi sua mulher.”

Conclusão

Deus quer que você seja um pacificador, ou seja, alguém que atua restaurando e fortalecendo relacionamentos. Antes, porém, de agir numa situação conflituosa, ore a Deus, pedindo a sabedoria do alto, que é pacífica (Tg 3.17). Peça-lhe autocontrole para neutralizar a gritaria, com palavras suaves; para responder às ameaças, com tranquilidade; para falar claramente, sem usar de sarcasmo; para não utilizar intrigas; para não ser um permanente alimentador de fofocas e não fomentar contendas; para ser um melhor ouvinte e um melhor observador. Seja um pacificador ativo; construa pontes de aproximação.

A recompensa pelo seu esforço, com certeza, será boa. No caso de Abigail, ela acabou se casando com o Rei Davi! Da mesma maneira, Deus tem tesouros para você. Creia nisso, e viva em Paz! Amém!

 
-o=0=o- 


Pr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.;Th.D.)

Ass. de Deus em Santos (Ministério do Belém) - São Paulo.

Email: adayl.alm@hotmail.com

Facebook: adayl manancial

BIBLIOGRAFIA

PC Amaral - Abigail Uma mulher pacificadora - "Série Homens e Mulheres da Bíblia" .

Marita Terra Nova - Abigail, uma mulher sábia.

Rosana Salabai - A pacificadora

Ludgero Bonilha Morais - Davi e Abigail I