Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

DEVOCIONAL - 11 de Agosto de 2016.




Ainda que a figueira não floresça, nem há fruto na vide; o produto da oliveira mente, e os campos não produzem mantimento; as ovelhas foram arrebatadas do aprisco, e nos currais não há gado, todavia eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação. (Hc 3.17.)
Observe, eu lhe peço, como é calamitosa a situação descrita aqui, e como é heróica a fé aqui expressa. É como se ele dissesse: "Embora eu seja reduzido a uma situação de tão grande extremidade que não saiba onde encontrar o sustento, embora veja à minha volta uma casa vazia e um campo desolado e veja as marcas do açoite de Deus onde antes havia os frutos da Sua abundante dádiva, ainda assim eu me regozijarei no Senhor."
Creio que essas palavras são dignas de serem gravadas com diamante numa rocha, para sempre. Possam elas, pela graça divina, ser gravadas no coração de cada um de nós! Embora este texto seja conciso, ele apresenta claramente os seguintes pensamentos: no dia da sua adversidade ele correria para Deus, e que em meio à escuridão ele manteria uma santa firmeza de espírito — mais ainda, teria gozo santo no Senhor e esperaria nEle alegremente. Isto é confiança heróica! Isto é fé excelente! Isto é amor invencível!

— Não floresceu a figueira!...
— A vara de Arão floresceu!
Meu Salvador está vivo. —
Pra ser meu socorro perfeito.
Deus mesmo O elegeu!

— Já não há mais mantimento!...
— Mas há o pão do céu, para mim!
DEle me vem o sustento;
E a rica fartura que há nEle
Jamais terá fim!

— Já não há fruto na vide!...
Mas há na videira de Deus!
Dela sou ramo seguro,
E a seiva de vida do tronco
Circula nos Seus!

— Não mais produz a oliveira!...
— Mas o óleo de Deus não tem fim.
Da plenitude que há em Cristo
Derrama ainda agora, abundante.
Também sobre mim!

— Gado... as ovelhas... se foram!...
Eu tenho o Cordeiro de Deus!
Seu sacrifício é perfeito.
Lavado no Sangue, possuo
O Reino dos Céus!

Falhem-me as coisas, que importa?
Eu tenho Jesus, meu Senhor!
Nada me falta, Ele é tudo.
Minha alma se alegra e descansa
No meu Salvador!