Pesquisar este blog

terça-feira, 16 de agosto de 2016

DEVOCIONAL - 17 de Agosto de 2016

Confio em Deus, que sucedera do modo por que me foi dito. (At 27.25.)

Alguns anos atrás, fiz uma viagem aos Estados Unidos em um navio cujo capitão era um crente muito dedicado. Quando nos aproximávamos das costas da Terra Nova, ele me disse: "A última vez que atravessei este trecho, há um mês, aconteceu uma coisa que revolucionou toda a minha vida cristã. Encontrava-se a bordo George Müller.

Eu estivera 24 horas na ponte de comando. George Müller procurou-me e disse: 'Capitão, vim dizer-lhe que preciso estar em Quebec no sábado à tarde.' É impossível', respondi. 'Muito bem, se o seu navio não pode levar-me, Deus achará outra maneira. Há 57 anos que nunca quebro um compromisso. Desçamos até a cabine de mapas. Vamos orar.'

"Olhei para aquele homem de Deus e pensei de que asilo de lunáticos teria ele fugido. Eu jamais tinha ouvido coisa semelhante. 'Sr. Müller', disse eu, 'o senhor sabe a densidade desta neblina?' 'Não', respondeu ele, 'meus olhos não estão fixos na densidade da neblina, mas no Deus vivo, que controla cada circunstância da minha vida.'

"Ele se ajoelhou e fez uma das orações mais simples que já ouvi, e quando acabou, eu iria orar; mas ele pôs a mão no meu ombro e me disse que não o fizesse. 'Em primeiro lugar, você não crê que Ele atenderá, e em segundo, eu creio que ele já respondeu, e não há mais necessidade de que você ore.'
 
"Olhei para ele, e ele me disse: "Capitão, já faz 57 anos que eu conheço o meu Deus, e nunca houve um só dia que eu deixasse de ter audiência com ele. Levante-se, Capitão, e abra a porta, e verá que a neblina se foi.'.

Levantei-me e vi que assim era. No sábado à tarde, George Müller estava em Quebec para o seu compromisso." — Selecionado.