Pesquisar este blog

sábado, 13 de agosto de 2016

DEVOCIONAL - 13 de Agosto de 2016



Estando as nuvens cheias, derramam aguaceiro sobre a terra. (Ec 11.3.)

Então, por que tememos as nuvens que agora escurecem o nosso céu? É verdade que por algum tempo elas encobrem o sol, mas este não é apagado por elas; breve aparecerá novamente. Enquanto isso, aquelas nuvens negras estão cheias de água; e quanto mais escuras estiverem, mais abundantes as chuvas que derramarão.

Como podemos ter chuva sem nuvens? Nossas tribulações sempre nos têm trazido bênçãos, e sempre trarão. Elas são carros escuros que transportam brilhante graça. Essas nuvens logo derramarão suas águas, e toda erva tenra se alegrará com elas. Nosso Deus poderá embeber-nos em dores, mas nos renovará com misericórdia.

As cartas de amor de Deus muitas vezes nos vêm em envelopes tarjados de preto. Seus carros rangem, mas estão carregados de favores. A Sua vara floresce com flores suaves e frutos nutritivos. Não fiquemos preocupados por causa das nuvens, mas cantemos, pois as flores de outubro nos são trazidas pelas nuvens e chuvas de setembro.

Ó Senhor, as nuvens são a poeira dos Teus pés! Como Tu estás perto de nós no dia nublado e escuro! O amor Te contempla e se alegra. A fé vê as chuvas se derramarem, enchendo de alegria as colinas. — C. H. Spurgeon


Em meio à dor, às lutas,
Eu provo a Tua paz!

Seja o momento extremo,
Cerca-me o Teu amor,
E excede o entendimento
A Tua paz, Senhor!

Sei que este meu repouso
Custou-Te infâmia e dor;
Sofreste a minha angústia
Pra dar-me paz, Senhor.

Por este dom precioso
Que o coração refaz,
Nosso louvor recebe,
Tu que és a nossa paz! — H.E. A.

"O céu azul é maior do que as nuvens."
Minha alma satisfaz.
Tua presença, ó Mestre.