Pesquisar este blog

domingo, 12 de março de 2017

O PERIGO DAS OBRAS DA CARNE

Vivemos em um mundo saturado com o pecado; "...o mundo inteiro jaz no Maligno”. (1 João 5.19) O iníquo usa todos os meios possíveis para que seus "dardos inflamados" atinjam a mente do cristão. (Efésios 6.16) O apóstolo João advertiu contra os perigos no campo de batalha espiritual, o mundo.

E afinal o que é a concupiscência? 

Podemos seguramente defini-la como os desejos de nossa alma e de nossa carne. Segundo o dicionário Michaelis "Grande desejo de bens ou gozos materiais. Apetite sexual." 

Partindo dessa premissa podemos dividir essa concupiscência em três grupos:

"Concupiscência da Carne, dos Olhos e Soberba da Vida”, segundo o que nos revela o magistério do Apóstolo João. 

"Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não são do Pai, mas do mundo." (I Jo 2.16) 

A concupiscência da carne 

A concupiscência da carne é tudo o que atrai o apetite carnal e físico. Abarca o imediatismo. A satisfação pessoal e momentânea. O comer, o beber, o sexo fútil, toda e qualquer carnalidade. Embora os desejos naturais do corpo não sejam inerentemente maus (por exemplo, a necessidade de comida, bebida, e realização sexual), o diabo pode usar esses desejos lícitos (lícitos dentro de seus próprios limites) para escravizar o homem (1 Coríntios 6.12: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.). Nesta categoria de tentação, Satanás usa os desejos lícitos internos para produzir paixões carnais ilícitas (por exemplo: a gula, a fornicação). Os israelitas sucumbiram sob este tipo de pecado quando "... O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar" (1 Coríntios 10.7; Êxodo 32.6). O diabo tentou Jesus pela concupiscência da carne, quando ele pediu-lhe para transformar pedras em pães. (Mateus 4.3)

Muitas pessoas trocam, abrem mão de coisas boas, de promessas de Deus, pelo prazer momentâneo ou pelo conforto meramente material. Um grande exemplo desse tipo de mal se encontra na história de Esaú (Edom). Ele vendeu sua primogenitura a seu irmão Jacó em troca de um simples guisado vermelho. Ao fazer isso abdicou de todas as prerrogativas inerentes ao primogênito. Como por exemplo, maior quinhão na herança, no caso dos reis o direito ao trono, etc. 

"E disse Esaú a Jacó: Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou cansado. Por isso se chamou Edom (EDOM, em hebraico: vermelho). Então disse Jacó: Vende-me hoje a tua primogenitura.

E disse Esaú: Eis que estou a ponto de morrer; para que me servirá a primogenitura?

Então disse Jacó: Jura-me hoje. E jurou-lhe e vendeu a sua primogenitura a Jacó."

E Jacó deu pão a Esaú e o guisado de lentilhas; e ele comeu, e bebeu, e levantou-se, e saiu. Assim desprezou Esaú a sua primogenitura." (Gênesis 25.30-34)

Sabemos que mais tarde Esaú veio a se arrepender, mas já era tarde demais. Isso é um bom exemplo para nós de que decisões erradas (concernente as coisas espirituais) podem ser um caminho sem volta. 

A concupiscência dos olhos 

A concupiscência dos olhos é tudo o que atrai exigências insaciáveis do olho (Eclesiastes 1.8 = Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir). Abarca a cobiça, as conquistas materiais, a ambição não do ser, mas do ter. Por essa concupiscência muitas pessoas abandonam a Deus, seus caminhos para tornarem-se adictos do trabalho (escravos), sem tempo para a família, para aproveitar o dom da vida e principalmente para dedicar tempo e disposição para as coisas de Deus.

Um bom exemplo disso é Judas Iscariótes. Apesar de ter andado com Cristo, aprendido com Cristo, visto as obras de Cristo, foi capaz de vender sua lealdade por 30 moedas.

Nesta categoria de tentação, Satanás usa a atração externa (seja inerentemente bom, como um desejo de uma casa ou um carro, ou inerentemente mau, como um desejo para a esposa de um vizinho) para produzir a cobiça. Eva (Gênesis 3.6), e Acã (Josué 7.21) sucumbiram a esse tipo de pecado quando cobiçaram o que era proibido. 
O diabo tentou Jesus pela concupiscência dos olhos quando ele "...o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; e disse-lhe: Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares" (Mateus 4.8-9)

A soberba da vida 

A soberba da vida é tudo o que agrada a altivez, a arrogância e o orgulho. Abarca a ambição não do Ter, mas do Ser. É a busca pelo reconhecimento pessoal no meio da sociedade que segue o sistema do mundo. Soberba, arrogância e prepotência são alguns dos frutos dessa vaidade. Em geral esse mal aflige aqueles que já conquistaram fortuna, mas isso não é o bastante. Almejam também fama e poder.
Particularmente acho esse mal o mais letal espiritualmente falando, porque é comumente encontrado no mundo, mas também no meio do povo que está nas igrejas.

Nesta categoria de tentação, Satanás usa a contemplação da realização pessoal (por exemplo, a popularidade, o sucesso acadêmico) para produzir uma atitude anárquica autossuficiente. Quando uma pessoa é vítima da soberba da vida, não é mais uma batalha contra a carne; o maligno ganhou a batalha sensual e intelectual. 
Os israelitas sucumbiram a esse tipo de pecado, quando eles "agiram com orgulho, endureceram a cerviz, e não deram ouvidos aos mandamentos [de Deus]" (Neemias 9.16). O diabo tentou Jesus pela soberba da vida, quando ele "o levou à cidade santa, colocou-o sobre o pináculo do templo”, e pediu-lhe para desafiar a Deus (Mateus 4.5-7). 

Quantos não são os homens de Deus que vendem seus ministérios por um conchavo político, que toleram o pecado dentro da igreja para manter o templo cheio, e com isso obter prestígio (Ap 2.20). Sem contar que esse tipo de concupiscência traz também em seu bojo condutas imorais, corrupção e toda sorte de mazelas. É por esse tipo de canal que se estabelece teologias materialistas, como a da prosperidade e da confissão positiva (que são quase sinônimas).


Um exemplo de alguém que se vendeu, mesmo tendo um ministério provindo de Deus é Balaão, Profeta de Deus, mas que pelas promessas de reconhecimento e de poder, ensinou Balaque a lançar tropeços diante do povo de Deus. 
"Mas algumas poucas coisas tenho contra ti, porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e se prostituíssem." (Apocalipse 2.14)


A Definição de "Carne"


A palavra grega para "carne" no Novo Testamento é sarx, um termo que pode muitas vezes nas Escrituras referir-se ao corpo físico. No entanto, A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature (léxico grego-inglês) descreve a palavra desta forma: "o corpo físico que funciona como uma entidade; no pensamento de Paulo especialmente, todas as partes do corpo constituem uma totalidade conhecida como carne, a qual é dominada pelo pecado a tal ponto que onde quer que a carne esteja, todas as formas de pecado estão igualmente presentes e nenhuma coisa boa pode viver."

A Bíblia deixa claro que a humanidade não começou assim. O livro de Gênesis diz que a humanidade foi criada originalmente boa e perfeita: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança.... Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" (Gênesis 1.26-27). Porque Deus é perfeito, e porque um efeito sempre representa a sua causa em essência [isto é, um Deus totalmente bom só pode criar coisas boas, ou como Jesus disse: "Uma árvore boa não pode dar maus frutos" (Mateus 7.18)], Adão e Eva foram criados bons e sem pecado. 
Entretanto, quando Adão e Eva pecaram, sua natureza foi corrompida e repassada aos seus descendentes: "Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete" (Gênesis 5.3).

A Manifestação e Luta contra a Carne

Como é que a carne se manifesta em seres humanos? A Bíblia responde a essa questão desta forma: "Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus" (Gálatas 5.19-21). 

QUALIDADES DO CARÁTER 

Caráter, no grego “charakter”, significa literalmente “estampa”, “marca”, “sinal”, “reprodução exata”.

Caráter é, portanto, aquilo que a pessoa é “por baixo” de sua personalidade. É a sua maneira de ser. É a soma de suas qualidades e defeitos morais integrados na sua personalidade, o qual determinam sua conduta em relação a Deus, a si mesmo e ao próximo.

De acordo com o dicionário Aurélio, caráter é a qualidade inerente de uma pessoa que a distingue de outra; é o conjunto de traços particulares, o modo de ser de um indivíduo, sua natureza e temperamento que o faz ser que é.

O Caráter: É o que formamos (construímos) ao longo da vida, à medida que nos relacionamos com as pessoas e com o meio que nos cerca; é aquilo que aprendemos ser, através do ensino, dos exemplos e daquilo que é aceito socialmente.

ANDAR SEGUNDO A CARNE E O AMOR AO MUNDO

A Palavra de Deus define como mundo o sistema que é contrário a Deus, como o comportamento, o jeito de se vestir, o jeito de falar, o estilo de vida e os estilos musicais dos que são infiéis a Deus.
O espírito do mundo, que é satanás, é quem está por trás do modo de pensar e de agir das pessoas que não receberam a Cristo, ou não receberam verdadeiramente a Cristo, como seu salvador.

Deus, através da sua Palavra, nos aconselha a não seguir o rumo desse mundo, não copiar o comportamento, o estilo de vida, o jeito de pensar, de falar e de se vestir dos que estão sob o domínio do espírito desse mundo.

A batalha entre as trevas e a luz é pelo coração do ser humano, a pergunta é: Vamos amar mais a luz, ou as trevas?

Se seguirmos o rumo desse mundo amaremos mais as trevas. Porém se seguirmos o rumo que palavra de Deus nos dá, amaremos mais a luz.


A Palavra de Deus nos diz: I Jo 2.15 - Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o Amor do Pai não está nele. 


I Jo 2.16- Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 


I Jo 2.17 - E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. 


Amar as coisas do mundo é um perigo constante que cerca os cristãos. Isso significa que o cristão não pode amar o sistema moralmente corrupto desse mundo, ou seja: gostar, querer, praticar, se igualar e fazer o que a sociedade, que está sob o domínio do espírito do mundo faz. 

Se a carne é fraca, como viver a vida cristã? 

É comum usarmos a frase "A carne é fraca" para justificar nossas quedas, geralmente no âmbito sexual. Mas vamos dar uma olhadinha no contexto: "E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito. Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca" (Mt 23.37-41)

SAINDO DA CARNE

“Digo, porém: Andai no Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne. Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis.” (Gálatas 5.16, 17).

Vivemos em guerra vinte e quatro horas por dia; sete dias por semana. Trata-se de uma batalha ininterrupta, não só contra os demônios mas contra a nossa própria carne. O apóstolo Paulo declarou que via em seu corpo uma guerra entre seu homem interior - que tinha prazer na lei de Deus, e a sua carne - que se via dominada pela lei do pecado. 

Deus nos comissionou a vencer a carne; e podemos fazê-lo! 

Esta é uma das áreas onde o Espírito Santo veio ministrar em nossas vidas para nos conduzir a um viver santo, vitorioso. E os benefícios do uso da linguagem de oração no espírito estão diretamente ligados às áreas de ação do Espírito do Senhor em nós. Em suma, se é ministério do Espírito nos fazer vencer a carne, então é certo que o falar em línguas nos auxiliará no tocante a esta área. E somente andando no Espírito venceremos os desejos e inclinações da carne.

O capítulo áureo na Bíblia sobre andar no Espírito e massacrar a carne é Romanos 8. No capítulo 7 Paulo declara que passava o conflito interior que todos nós também passamos: “o bem que quero este não faço, e o mal que não quero este faço”. Depois faz a pergunta: “quem me livrará do corpo desta morte?”, externando assim a sua incapacidade de vencer a carne. Muitos pensam que esta pergunta ficou sem resposta; mas não! Logo a seguir, ele mesmo afirma em Romanos 8.1: PORTANTO, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito". 

O capítulo 8 revela como Jesus Cristo nos dá esta vitória. Temos a provisão de Cristo para vencermos. E da mesma forma como havia dito aos gálatas que o segredo de não cumprir os desejos da carne é ANDAR NO ESPÍRITO, o apóstolo também o diz em outras palavras aos crentes de Roma.

“Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.” (Romanos 8.2).

========================


Pr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.;Th.D.)

Ass. de Deus em Santos (Ministério do Belém) - São Paulo.

Email: adayl.alm@hotmail.com

Facebook: adayl manancial



BIBLIOGRAFIA

AldenirAraujo - A concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida

Jânio Santos de Oliveira - As concupiscências que o mundo oferece

Mario Persona - Se a carne e' fraca, como viver a vida crista?

Vanderlei L. Borkoski- Concupiscência da Carne, Concupiscência dos Olhos e Soberba da Vida.