Pesquisar este blog

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Humildade Agressiva, ou "O Muro "



Recentemente, enquanto estava orando por uma situação que afetava muitos dos nossos amigos tanto em Israel como internacionalmente, vi uma imagem em meu coração de um muro maciço de pedra, indicando a dificuldade do problema. O muro era grande demais para ser destruído ou escalado.

A parte inferior do muro não estava ligada ao chão, com um pouco de espaço entre eles. Havia luz vindo da fresta entre o muro e o chão. A luz emanava do outro lado do muro.

O muro representava o orgulho, o ego e a honra dos líderes envolvidos. A solução para a situação estava do outro lado do muro — representada pela luz. O vão abaixo do muro era grande o bastante para uma pessoa atravessar para o outro lado se simplesmente se abaixasse o suficiente.

Não havia outro obstáculo. O espaço estava aberto. Qualquer um podia chegar até a solução “iluminada”. A única coisa que precisava acontecer era os líderes se humilharem… e todos os outros também. Nada mais era necessário. Com humildade, a situação poderia se tornar gloriosa.

É um princípio nas Escrituras que é tão simples e, ao mesmo tempo, tão desafiador. Se nos humilharmos, Deus nos exaltará (Tiago 4.10; Mateus 23.12). Se somos orgulhosos, Deus esconde de nós, propositalmente, sua sabedoria e conhecimento (Mateus 11.25-29).

O orgulho foi a causa do primeiro pecado, e a raiz da rebelião satânica. Se pudermos evitar essa tentação, será um bom começo para o restante da nossa “caminhada” espiritual. Assim como Yeshua se humilhou, nós também devemos nos humilhar (Filipenses 2.5-9).

Contudo, o orgulho, muitas vezes, parece “brotar” por si mesmo. Temos que empurrá-lo para baixo. Precisamos nos humilhar de forma um tanto quanto “agressiva”. Entretanto, a humildade quase sempre parece produzir muitos frutos positivos.

Asher Intrater