Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Fruto do Domínio Próprio


Por Asher Intrater

Como amamos o fruto do Espírito - amor, alegria e todas aquelas outras coisas boas. É a própria personalidade de Deus em nós. Existe um fruto do Espírito no final que parece ser menos falado: domínio próprio. Poderíamos chamá-lo de o Fruto Final.

Gálatas 5.22-23 – Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio...

Talvez as pessoas se sintam menos atraídas a esse fruto porque requer dizer "não" um pouquinho. Isso significa dizer "não" para os nossos próprios desejos, ou ao menos restringi-los a certo ponto. Mas esse fruto é muito importante.

Yeshua recebeu poder do Espírito Santo basicamente por ter dito "não" três vezes ao maligno (Lucas 4.1-14) Domínio próprio se trata de dizer "não" a nós mesmos. É semelhante ao "a si mesmo se negue" (Lucas 9.23). Isso significa guardar nossa mente de forma que aqueles pensamentos obscuros não entrem a qualquer momento (2 Coríntios 10.3-5; Filipenses 4.4-8). É manter a porta fechada para qualquer coisa que possa dar lugar ao diabo (Efésios 4.25-29).

Recebemos todas as bênçãos pela graça porque Yeshua foi crucificado POR nós. Ao mesmo tempo, Deus nos chama para viver como se estivéssemos crucificados COM Ele.

Gálatas 2.19-20 – Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.

Nós chamamos isso de a vida crucificada. É a nossa resposta a ele por ter sido crucificado por nós. Vivemos diariamente "como se" estivéssemos crucificados. A autocrucificação é uma parábola. Eu exercito a autorrestrição sobre desejos naturais diariamente. O fruto do domínio próprio é o meio que usamos para praticar a ideia de ser crucificados com ele.

Quando o Senhor quer nos abençoar, existe primeiro um período de autocontrole. Às vezes esse período é um minuto, às vezes um ano. Muitas vezes parece que será para sempre. O domínio próprio é necessário antes da bênção, durante a bênção e depois da bênção.

Só porque Deus te abençoou com uma ótima refeição, não significa que você tem que comer tudo o que está sobre a mesa. Nós exercitamos o domínio próprio para manter as bênçãos que Deus nos deu. Excluímos as coisas ruins, e mantemos as coisas boas sob controle. Deus permanece no trono sobre nós.

Este exemplo pode ser um pouco explícito, mas o domínio próprio me lembra quando você é obrigado a esperar antes de ir ao banheiro. Você contrai um músculo lá dentro e segura firme.  No nível da alma, é isso que o domínio próprio faz.

Não estamos esperando para nos aliviar. Estamos esperando no Senhor. Restringimos nossos próprios instintos a fim de dar ao Senhor tempo e oportunidade para trabalhar em nossa vida. Enquanto esperamos no Senhor, exercitamos domínio próprio.

Provérbios 16.32 – Melhor é o longânimo do que o herói da guerra, e o que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade.

Você pode ser maior do que um general de exército, um atleta campeão ou um primeiro-ministro. Eles são heróis. Quem consegue controlar a si mesmo é um "super" herói. O domínio próprio é a maior das vitórias.

Percebo, mesmo enquanto escrevo isso, que existe uma capacidade divina para aumentar o domínio próprio. Eu oro por você agora mesmo enquanto lê estas palavras, para que o fruto do domínio próprio cresça abundantemente em sua vida.